movimento ordem vigília contra corrupcao

segunda-feira, junho 12, 2006

NA IDADE DA PEDRA

Na atitude dos sem-terra mais extremados, ataca-se todo esforço da inteligência humana para livrar-se da barbárie.


As mudas gritaram/ de repente/ e não mais que de repente/ o riso da burguesia fez-se espanto/ tornou-se esgar, desconcerto."

Não foi apenas vandalismo. Em sua revoltante mistura de premeditação e barbárie, a invasão da Câmara dos Deputados por militantes do MLST na última terça-feira diz muito a respeito da ideologia que fundamenta, há anos, a atitude de parcelas do movimento dos sem-terra pelos quatro cantos do país.
Trata-se de ativismo autoritário, retrógrado e violento, que se vale da reivindicação do acesso à terra como salvo-conduto para o arbítrio e o obscurantismo.São eloqüente símbolo dessa mentalidade as cenas, registradas em vídeo, da jovem que se valeu de destroços de alvenaria, troféus recém-conquistados na depredação, para rebentar quantos terminais de computador visse pela frente naquela histórica jornada de 6 de junho.
Três meses antes, a destruição do centro de pesquisas da Aracruz Celulose, no Rio Grande do Sul, por ativistas da Via Campesina já demonstrava -com efeitos irreparáveis - o mesmo ímpeto de sabotagem contra tudo que represente desenvolvimento tecnológico, "ciência burguesa", ou qualquer outro nome que se queira dar aos esforços da inteligência humana para livrar-se da rusticidade e da barbárie.
Não são contudo "bons selvagens" os líderes sem terra que, usando como massa de manobra um contingente desesperado e pobre de homens, mulheres e crianças, agora condenam supostos abusos de autoridade por parte das forças policiais, que detiveram as cinco centenas de invasores do Congresso.
Abuso, isto sim, e para dizer o mínimo, cometeram os que, em nome de suas "legítimas reivindicações", levaram à UTI -ferido por uma pedrada- um funcionário do Congresso insuspeito, ao que tudo consta, de ligações com o latifúndio e o agronegócio. Estão, de fato, na idade da pedra. À violência contra as instituições, contra as pessoas, contra a modernidade, somou-se nestes dias à violência contra os fatos; ou melhor, um cinismo capaz de fazer enrubescer os mais incorrigíveis sicofantas que desonram a instituição parlamentar. Responsáveis pela "jihad" campesina agora alegam inocência; já o aiatolá supremo do MST, João Pedro Stédile, condenou com frases inusualmente resvaladias o "equívoco" da iniciativa.
Apoiou, entretanto, a devastação da Aracruz, como apóia toda invasão de terras, produtivas ou não: única atividade dos setores mais extremados dos sem-terra em que a tecnologia, como se viu nas gravações dos encontros preparatórios para o 6 de junho, parece ter atingido níveis consideráveis de aperfeiçoamento.
Enquanto isso, no site da organização, um abaixo-assinado celebra em versos a destruição de 20 anos de pesquisa científica: "As mudas gritaram/ de repente/ e não mais que de repente/ o riso da burguesia fez-se espanto/ tornou-se esgar, desconcerto."Fosse o célebre soneto de Vinícius de Morais a maior vítima do vandalismo, não mais que espanto e riso viriam ao caso.
Quanto a esgares e desconcertos, a isto -nada mais que isto- resume-se a reação dos líderes sem terra, quando se revela de vez o autoritarismo de suas atividades. Editorial - F.de SP
Comentário:
Estamos menor e humilhados!Um país com a cara da Selvageria. O Brasil está cheio de aiatolás do Supremo altar da maldade, e ignorância da alma humana. Lula. Por, Gabriela (Movimento da Ordem e Vigília Contra a Corrupção)

Piada do Dia:
"O governo Lula não teme nenhum tipo de investigação, muito pelo contrário, nenhum governo investigou tão profundamente a si mesmo como este”... Tarso Genro

2 Comments:

  • A única diferença é que o bárbaro apedeuta tem infra-estrutura que melhora sensivelmente seu aspecto visual.

    Na sua face oculta, o grotesco se alia ao bizarro e o bárbaro em som gutural reconhece a sua espécie.

    By Anonymous Beth Osuch, at 9:26 PM  

  • A ditadura esta sendo exercida por bandos armados num grau de barbárie inédita! Ou isto, é esmagado, sem contemplação, ou a insegurança generalizada vai gerar um fenômeno de autodefesa e criação de milícias e grupos de “vigilantes”, de “resistência”.

    Aí sim, tudo se tornará ainda caótico e cruento.Há uma situação nova, diferente de tudo quanto já vivenciamos e isto precisa ser enfrentado de forma correspondente à ameaça mortal que representa. A “condescendência criminosa”...é o nome do nosso MAIOR INIMIGO!

    By Anonymous GAUCHO, at 10:56 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home