movimento ordem vigília contra corrupcao

terça-feira, setembro 19, 2006

PEGA LADRÃO!

A CHANTAGEM ELEITORAL DE LULLA


SURPREENDIDO, o ladrão antecipa-se ao alarme e grita: "Ladrão! Pega ladrão!". Mistura-se aos seus próprios perseguidores e se livra da polícia. (Ou então, numa variável da cena, usada como cortina cômica dos picadeiros de circo de antigamente, o ator que faz o papel do descuidista ou do sedutor apanhado em flagrante de adultério grita "Fogo! Fogo!", e aproveita a confusão pra fugir).
As cenas do repertório da velha malandragem, antes que a violência e o narcotráfico lhes retirassem qualquer possibilidade de riso, estão sendo revividas grotescamente na atual campanha eleitoral. Especialmente no caso da chantagem montada pelo PT contra Alckmin e Serra a quem Lula, com a maior cara-de-pau, hipotecou solidariedade de crocodilo.
É espantoso ver na TV Lula e o PT gritando, indignados: "Baixaria! Baixaria!", quando estão mergulhados até a cabeça no golpe. Assim como foi em outros escândalos: mensaleiros, vampiros, sanguessugas, valerioduto, operação tapa-buracos, "bingueiros", pagamentos do marqueteiro Duda com dólares sem declaração de origem e cartilhas eleitorais de R$ 11 milhões pagas com dinheiro público e distribuídas pelo PT, e tantos outros casos que já perderam o benefício de serem considerados denúncias para se transformarem em inquéritos apurados e votados por comissões parlamentares e pelo TCU.

Tal como aconteceu no último fim de semana, quando Lula apareceu protestando inocência e declarando repulsa à tentativa de chantagem envolvendo a considerável quantia de R$ 1,7 milhão contra Alckmin e Serra. O grave é que a PF já sabia, àquela hora, que a trama era conduzida pelo Palácio do Planalto, por um assessor especial da Secretaria Particular do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Tal como Waldomiro Diniz - que traficava com bicheiros e era subchefe da Casa Civil, do ex-ministro José Dirceu, e gerou a CPI dos Correios e a revelação dos mensaleiros-, Freud Godoy, personagem-chave do novo episódio da compra de um dossiê contra Geraldo Alckmin e o ex-ministro José Serra, trabalha com o também notório Gilberto Carvalho, secretário particular de Lula.

Gilberto é personagem do escabroso episódio do assassinato de Celso Daniel, ex-prefeito de Santo André. Criou-se uma situação sem saída para Lula, pois o próprio Freud Godoy, acusado pelo operador da chantagem, apanhado com o dinheiro, confessou implicitamente ao anunciar que estava pedindo demissão do seu cargo no Palácio do Planalto e, como Waldomiro, será exonerado "a pedido" - com agradecimentos pelos bons serviços, como Lula faz com todos os corruptos que é obrigado a demitir.

O cinismo da impunidade ganha requintes nas mãos de marqueteiros inescrupulosos. Mas, como todo golpe, há o momento em que a mentira se confronta diretamente com a verdade e, aí, a impostura se desfaz. Tudo indica que houve uma precipitação. Deram um passo em falso. Imaginando que o jogo tinha acabado em minha opinião, não acabou, pois haverá segundo turno, e, aí, a questão "corrupção de Lula" versus "ética de Alckmin" será julgada-, Lula e o PT resolveram tripudiar e realizar uma intervenção criminosa na eleição.

O crime perfeito consistia em desestabilizar Serra e, ao mesmo tempo, dar oportunidade a Lula para fazer declarações de repúdio àquela chantagem, como efetivamente fez. Com isso, teria o pretexto para protestar contra o uso de acusações para ele, "baixarias"-, relembrando os casos de corrupção no seu governo, único perigo temido por seus marqueteiros.

Ao se jactarem de "com o limão fizemos uma limonada", ou seja, com os protestos da oposição pela chantagem, ainda conseguiriam que Lula ampliasse sua própria blindagem contra ataques. Os petistas achavam que a questão estaria liquidada. Gritavam mais que as vítimas: "Pega ladrão!" (no caso, Lula declarou, indignado: "Fora as baixarias contra candidatos!"), e, além de criarem um clima para que os chantagistas se safassem, ainda melhoravam a posição na campanha eleitoral.

Dito isso, encenada a farsa da inocência compungida, continuariam com o realejo da impostura das falsas obras sociais, fazendo esquecer a tunda que a Petrobras está levando de Chávez e Evo Morales, banqueteando-se com banqueiros uma vez por semana e batendo recordes de presença de mensaleiros e sanguessugas em seus comícios.

O azar é que a PF botou tudo a perder. Prendeu os chantagistas, e um deles confessou seu ninho: a Secretaria Particular do próprio Lula. Não deu para chegar impune a 1º de outubro. - Por JORGE BORNHAUSEN, senador pelo PFL-SC, é o presidente nacional do partido.

Gaucho/Gabriela (Movimento da Ordem e Vigília Contra a Corrupção)

7 Comments:

  • Petista é ordinário! Agora estão dizendo que não precisam disso, de dossiê pq a candidatura do lulla já está assegurada. Acontece, que o dossiê era para ferrar com o Serra e garantir São Paulo.

    Nada tem nada haver com o fato de lulla "já estar reeleito". O problema foi que a PF do lulla estragou tudo. Acredito que elles nem estavm preocupados com a PF, dela atrapalhar essa jogada.

    By Anonymous Anônimo, at 10:59 AM  

  • Dá para acreditar que uma pessoa tão próxima e absolutamente fiel a Lula tenha feito uma coisa dessas sem que ele soubesse? Claro que não dá. Agora, o argumento é que Lula está com a eleição ganha e não precisaria disso. É verdade, Lula não precisa mesmo disso, quem precisa é o Mercadante, e Lula está totalmente obcecado em derrotar o PSDB em São Paulo, que será a trincheira mais forte da oposição em seu segundo mandato, por isso deixou seu assessor meter-se com essa bandalheira. Lula condenou dossiês e defendeu Serra porque já sabia que a coisa ia feder. Como é sujo esse sujeito, impressionante! No que tem razão é quando diz que isso não afetará sua popularidade, porque seus eleitores já demonstraram que são feitos da mesma lama podre.

    By Anonymous GUI, at 11:01 AM  

  • Não foi apenas o Serra que seria prejudicado. Elles queriam prejudicar principalmente o Alckmin. As fotos já circulavam pela Internet há tempos e não deram em nada. O alvo era não haver segundo turno para presidente. Se houver segundo turno em São Paulo todos sabem que o Mauricinho de beira-de-piscina perde e feio.

    Quem tem 2 milhões pra montar dossiê, tem muito mais para comprar pesquisas. O Custo de cada pesquisa não chega a R$ 200.000, portanto.........

    By Blogger CAntonio, at 12:51 PM  

  • Um questionamento indispensável nesse momento, os ministro Jobim e Vidigal fizeram a maior safadesa com o Brasil em proteger os bandidos membros da gangue do Lulla e até agora o outro safado ministro Márcio t. bastos se encontra em plena atividade de defesa dos bandidos e teroristas do Corrupto-Lulla. Que moral tem este sr. Márcio t. bastos para se pronunciar como ministro, se ele não explicou os dolares (nossa grana) enviada ao exterior para suas contas bancárias dentre outras centenas de casos.
    As provas dessa última sacagem do Corrupto-Lulla-Terrorista sobre o dossiê, estão sendo divulgadas(fotos e videos) e esse ministro bandidão está impedindo a divulgação somente do dinheiro 1,8 milhões justamente o que incrimina o terrorista Lulla.

    Prof. Carlos Pinheiro.

    By Anonymous Anônimo, at 3:58 PM  

  • Só a safadeza, a burrice e o analfabetismo funcional é que pode explicar esses debilóides que continuam defendendo o desgoverno mais corrupto da história republicana: do Lulla e seu bando de canalhas. Sempre enxergando teorias conspiratórias quando não têm mais onde se esconder. Gente atrasada de um País atrasado. Indecência!

    By Anonymous Sueli Costa, at 7:25 PM  

  • Como se mata um rato? Têm que dar um GOLPE rápido e certeiro. O Brasil não pode perder esta oportunidade de limpar os Porões de Brasilia dos Ratos do PT. Só um povo burro e ignorante é que engorda Ratos.

    By Anonymous Anônimo, at 7:28 PM  

  • Por pouco este povo se indignava. Ou este nosso povo é malandro mesmo, ou as pesquisas não falam a verdade. Este "porco espinho" tem que ser preso com toda a sua quadrilha.

    By Anonymous Gabriela, at 10:08 PM  

Postar um comentário

<< Home