movimento ordem vigília contra corrupcao

quarta-feira, setembro 20, 2006

EM NY, LULLA SUGERE QUE QUEREM “MELAR” ELEIÇÃO


"A quem interessa melar o processo eleitoral?"...


"Primeiro, nós temos que levar em conta a quem interessa nessas alturas do campeonato melar o processo eleitoral no Brasil. Eu já participei de muitas campanhas, já perdi eleições e estive em situações altamente desfavoráveis e em nenhum momento usei nenhum tipo de denúncia contra qualquer candidato, mesmo quando havia gente achando que deveria fazê-lo. Não fiz", disse Lulla, depois de participar da sessão de abertura da Assembléia Geral da ONU.


Em seguida, Lulla comparou a situação atual ao episódio, de 1989, em que o goleiro chileno Roberto Rojas simulou ter sido atingido por um rojão lançado das arquibancadas do Maracanã durante um jogo decisivo entre Brasil e Chile pelas eliminatórias da Copa de 90.

"Eu de vez em quando fico vendo as notícias, fico lembrando de um goleiro chileno que uma vez numa disputa de uma final com o Brasil finge que está machucado para tentar melar o jogo. Graças a Deus as investigações descobriram que ele estava fingindo."

Lulla viajou para Nova York dias depois de estourar o escândalo em que o ex-assessor especial da Secretaria Particular da Presidência Freud Godoy foi acusado de negociar a compra de um dossiê acusando o candidato do PSDB ao governo de SP José Serra de participar do esquema de superfaturamento de ambulâncias na época em que o tucano era ministro da Saúde.
*
ELEIÇÃO FAVORÁVEL

Lulla sugeriu que não teria por que alguém ligado a ele intervir na campanha "a dez dias de uma eleição em que a situação está altamente favorável".

"Por que haveria alguém que quer me ajudar a fazer um ato insano desses? É importante lembrar que os que estão me acusando agora fazem mais ou menos dois anos que não querem que eu participe da reeleição."

"Faz dois anos que eles dizem que não vão permitir. Faz dois anos que eles tentam criar todo tipo de confusão para evitar que o nosso governo tenha o resultado que está tendo."

Ao mesmo tempo, Lulla voltou a chamar a fabricação de dossiês de "comportamento abominável" da política brasileira e a defender a punição dos envolvidos.

"A mim, como presidente da República, só cabe fazer uma coisa, investigar a fundo quem estiver envolvido, doa a quem doer. E eu acho que as pessoas que praticarem coisas que sejam ilícitas, essas pessoas têm que pagar. Todo mundo conhece o meu comportamento e sabe que eu acho abominável esse tipo de comportamento na política brasileira. Abominável."

"O que não posso permitir é aceitar que alguém tente fazer qualquer insinuação contra o governo." Bruno Garcez Enviado especial a Nova York - BBC
*

MUITO ALÉM DE FREUD

William Goldman, o roteirista do filme Todos os homens do presidente, sobre o Watergate, faz o principal interlocutor dos jornalistas do Washington Post que investigavam o escândalo, o 'garganta profunda' W. Mark Felt, aconselhá-los: 'Sigam o dinheiro. ' No escândalo do dia no Brasil - o acerto da família Vedoin, a da máfia das sanguessugas, com o PT e um órgão de imprensa para a venda de um 'dossiê' que incriminaria, entre outros, o candidato tucano ao governo paulista José Serra, quando ministro da Saúde -, o conselho fictício deve ser desdobrado em dois.

Claro que buscar a origem do R$ 1,75 milhão amealhado para pagar o material, que - agora se sabe - não vale um centavo, é crucial para se chegar aos responsáveis últimos pela baldada baixaria, aqueles que mandaram o assessor especial e amigo íntimo do presidente, Freud Godoy, enviar o advogado e ex-policial Gedimar Pereira Passos para fechar o negócio com os donos da empresa mafiosa. (A versão é de Gedimar. Freud nega ter parte no caso.)

Mas talvez convenha também seguir o churrasqueiro oficial da Granja do Torto - outro dos 'homens do presidente' (do Brasil). Trata-se do catarinense Jorge Lorenzetti. Fundador do PT e professor de enfermagem, capaz de dividir o seu último naco de carne com os velhos companheiros José Dirceu e Delúbio Soares, amigo de Lula pelo menos desde a campanha de 2002, dirigia o setor de Administração do Banco do Estado de Santa Catarina, federalizado em 1999. Lorenzetti licenciou-se em agosto passado para trabalhar no comitê da reeleição do presidente. A sua função oficial é de 'analista de risco e mídia'.

Freud diz que foi Lorenzetti quem o apresentou a Gedimar. Faz sentido. Até ser preso, o operador da compra do 'dossiê', funcionário do diretório nacional do PT, respondia a Lorenzetti no chamado 'dispositivo de tratamento de informações' da campanha, o setor da arapongagem. Era segundo Freud, 'o homem que desarmava bombas' contra o presidente. Se for verdadeiro o mecanismo descrito por Gedimar da bomba que acabou rebentando no pé do petismo - e chamuscando as barbas do presidente. Editorial do Estadão
*

PÉSSIMOS AGOUROS PARA 2007

Depois de sobreviver às turbulências políticas dos últimos três anos com a insistente defesa de que nada sabia, o Lulla da Silva chegará à reta final da campanha pela reeleição chafurdando em outro episódio desmascarado na ante-sala do seu gabinete. A inclusão do PT na negociata de um dossiê ligando tucanos à máfia das sanguessugas, armação desmontada pela Polícia Federal, exige de Lula uma rápida e convincente resposta, atributo que lhe faltou desde que se abrigou no Palácio do Planalto.

Nos últimos quatro dias, graves perguntas têm inquietado o país. Quem encomendou os documentos cabeludos oferecidos pela família Vedoin? Um integrante subalterno do dispositivo da Presidência da República se meteria em jogo tão pesado sem ordem ou autorização superior? O presidente Lula sabia das armações forjadas por companheiros do PT, alguns dos quais petistas de grande musculatura e presenças íntimas nos churrascos do Alvorada e nos gabinetes do Planalto? Qual a origem do dinheiro vivo (dólares e reais) com o qual seria pago o material dos Vedoin?

Os impactos da "última do PT" sobre a campanha são ainda incertos, mas emitem recados nada edificantes sobre o partido e o presidente. O mais grave: ainda que conte com o beneplácito público de que nada sabia das safadezas promovidas por altos companheiros, restará a convicção de que o PT não tem mais jeito e que Lula não controla nem sequer o que se passa ao seu redor.

São péssimos agouros para um eventual segundo mandato - se houver. Caso seja reeleito, o presidente Lula conviverá com o fantasma permanente do impeachment. Poderá resultar numa instabilidade maléfica ao país. Também precisará demitir o PT do governo, especialmente se quiser divorciar-se das quadrilhas instaladas no partido.

Mas como afirmou o presidente do TSE, Marco Aurélio Mello, não deve ser descartada a possibilidade de impugnação da candidatura à reeleição, caso seja provada a participação de Freud Godoy no episódio. O segurança, porém, não é o personagem principal da trama. A história ensina que a responsabilidade costuma ser creditada a companheiros de baixa relevância - almas solitárias que agem por conta própria. Nisto, só os ingênuos e os malandros acreditam. Editoral do JB
*

CONFISSÃO

A justificativa do ministro Márcio Thomaz Bastos para a não exibição do dinheiro apreendido com os petistas Gedimar e Valdebran - evitar o uso eleitoral da imagem - só teria o sentido de isenção se o governo não fosse parte na disputa eleitoral. Sendo, equivale a uma confissão de favorecimento. Por Dora Kramer – O Estado de São Paulo
*

ADVOGADO DE FREUD É LIGADO A BASTOS

Jorge Lorenzetti, que supostamente contratou o advogado Gedimar Passos e o apresentou a Freud Godoy, saiu da "ação de cortar churrasco e assar carne" para o cargo de diretor financeiro do BESC, que foi federalizado.

O presidente do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), disse nesta terça-feira que tem informações sobre a ligação entre o advogado do ex-assessor especial da Secretaria Particular do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Freud Godoy, e o ministro da Justiça, Marcio Thomaz Bastos.

Ele contou que recebeu um e-mail informando que Augusto de Arruda Botelho teria sido estagiário e advogado júnior do escritório de advocacia do ministro em São Paulo, durante anos.

Bornhausen disse ainda que Jorge Lorenzetti, que supostamente contratou o advogado Gedimar Passos e o apresentou a Freud Godoy, saiu da "ação de cortar churrasco e assar carne" para o cargo de diretor financeiro do Banco do Estado de Santa Catarina (Besc), que foi federalizado. :: Cida Fontes - Agência Estado
*
GERALDO ALCKMIN VAI GANHAR A ELEIÇÃO, PREVÊ BORNHAUSEN

Em entrevista à Agência O Globo, o presidente do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), considerou grave o envolvimento de um assessor especial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na compra de um dossiê contra os tucanos José Serra e Geraldo Alckmin.

Segundo o senador, com mais esse escândalo envolvendo pessoas da confiança do presidente Lula, a disputa presidencial, que caminhava para o segundo turno, agora certamente será decidida entre Lula e Alckmin no dia 29 de outubro. :: PFL Notícias


COMENTÁRIO:

Nós vamos exorcizar este demônio. Elle será devolvido para os quintos dos infernos, de onde nunca que deveria ter saído. Nós vamos sim, "melar" seu plano diabólico de querer permancer entre nós. Seu "passe" está com os dias contados. Pois que grite a vontade. Por Gaúcho/Gabriela (Movimento da Ordem e Vigília Contra a Corrupção)

5 Comments:

  • O bêbado ta delirando?

    O PT vive ha tanto tempo armando, roubando, difamando, assaltando, matando, enganando e nunca lhe aconteceu nada, que não tem noção de perigo.

    By Blogger Star, at 12:33 PM  

  • CUIDADO!!! O diabo esta a solta, ele tem barba, apenas 9 dedos e atende pelo nome de lula...

    By Anonymous Romão_BSB, at 1:16 PM  

  • candidato do PT. Aquele discurso de "ética e transparência" que o partido apregoou por tantos anos já "caiu por terra". Agora, com essas novas denúncias de envolvimento de petistas com pessoas ligadas ao mundo do crime, muito menos votarei em alguém ligado a esse partido sujo que é o PT.

    By Anonymous Tales, at 2:43 PM  

  • E lá voltam as velhas e desgastadas declarações do Lulla: " temos que apurar nem que para isso tivermos que cortar na própria carne", "quem fez tem que pagar, nem que seja meu amigo intimo". Depois devagarzinho ele vai mudando o discurso e diz " sem prova não podemos julgar ninguém" e mais um pouco depois ele começa a defender os criminosos...Não foi sempre assim...porque não será desta vez?

    By Anonymous Cacá/SP, at 2:53 PM  

  • direita. E, por último, o governo vai providenciar uns 180 milhões de nariz vermelho, de palhaço, para a população. SIm, porque acham que somos palhaços, para acreditar nessa conversa toda.

    By Anonymous Anônimo, at 2:55 PM  

Postar um comentário

<< Home