movimento ordem vigília contra corrupcao

quarta-feira, agosto 02, 2006

LULLA REDUZIU EM 85% REPASSES PARA SEGURANÇA EM SP


De acordo com levantamento realizado pelos economistas José Roberto Afonso e Júlio Kogut, houve queda brutal nos repasses da União ao governo de São Paulo para a Segurança Pública. As verbas para o setor – que em 2001 somavam R$ 181 milhões – diminuíram para R$ 27 milhões em 2005. O montante de recursos enviados por meio do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) e do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) teve redução de 85%.

Na avaliação do deputado Arnaldo Madeira (SP), a administração Lula promove uma “verdadeira lambança” em matéria de distribuição de recursos públicos. Os valores repassados nos últimos anos para segurança comprovam, de acordo com ele, que o governo do PT “trabalha contra São Paulo”.

“Quando uma crise explode, Lula se mostra compreensivo e promete novas ajudas. No entanto, os dias passam e só recebemos omissão com ares de pirotecnia”, condenou. Segundo Madeira, não existe nenhuma ação efetiva do Planalto no combate aos focos da criminalidade: o narcotráfico e o contrabando de armas. “Nada é feito no sentido de coibir essas práticas. O resultado dessa gestão burocrática é lentidão.”

Já a deputada Zulaiê Cobra (SP) acredita que os números pífios dos repasses da União para a segurança em São Paulo reforçam a idéia de que não existe por parte do governo Lula uma preocupação com a vida dos cidadãos. “A má vontade deles com São Paulo no que diz respeito à segurança é evidente e chocante”, criticou. Site Diego Casagrande

DINHEIRO DO FUNPEN PAGA EVENTOS E PASSAGENS ENQUANTO SEGURANÇA PAULISTA PEDE SOCORRO

O socorro de R$ 100 milhões garantido pela Medida Provisória 311 para o Estado de São Paulo continua preso na conta do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen). Até agora, pouco se gastou da verba do Funpen e parte das aplicações realizadas com o dinheiro do fundo não está diretamente relacionada com a construção de presídios e a melhoria do sistema penitenciário. Enquanto o Ministério da Justiça (MJ) afirma continuar a espera de projetos, o governador de São Paulo, Cláudio Lembo, garante que os documentos para a liberação do dinheiro já foram enviados ao MJ.

Do orçamento do Funpen para 2006, R$ 375,5 milhões (incluindo os R$ 200 milhões da MP 311), até ontem (31/07), apenas cerca de R$ 5,00 milhões foram efetivamente gastos, o que corresponde a 1,3% da dotação autorizada. Além da baixa execução, parte significativa das aplicações ficou bem longe de construções e reformas de presídios. O dinheiro foi usado para custear a organização de eventos, a compra de ar-condicionado, passagens aéreas e confecções de roupas, entre outros.

Mesmo os R$ 175,5 milhões previstos inicialmente no Orçamento Geral da União (antes da MP) também estão sendo executados em marcha lenta. Até agora, foram comprometidos apenas R$ 34 milhões para a construção e reforma de presídios, além de outros projetos relacionados ao sistema prisional.

Entre os gastos do Funpen deste ano (incluindo os restos a pagar de anos interiores), foram pagos R$ 27 mil à confecção Shanon Moda Masculina e mais R$ 11,4 mil à Pro Roupas Confecções Ltda. O dinheiro do fundo arcou também com R$ 326,6 mil referentes à compra de passagens aéreas da agência Boing Turismo e com outros R$ 8,7 mil pagos à Aplauso Organizações de Eventos. Foram gastos ainda R$ 19,3 mil com a compra de uniformes e R$ 103 mil pelos serviços prestados pela Art Gráfica e Editora Delve Ltda.

Cerca de R$ 62 mil provenientes do fundo foram utilizados para comprar produtos hospitalares e outros R$ 4,1 mil pagos à empresa Ambiente Ar Condicionado Ltda. Os recursos do Funpen também arcaram, este ano, com a contratação da empresa San Decorações e Reformas, que cobrou R$ 2,4 mil pelos serviços de manutenção, remanejamento e instalação de cortinas e persianas. A compra de 200 caixas de som e de 32 amplificadores foi outro item que integrou a lista de despesas do fundo, totalizando um gasto de R$ 65,8 mil pagos à Criativa Comércio e Serviços. Os dados são do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi).

Há duas semanas, a visita da equipe de técnicos do governo de São Paulo ao Ministério da Justiça na tentativa de liberar recursos de nada adiantou. Depois de mais essa frustração, Cláudio Lembo declarou na última sexta-feira (28/07) que "dialogar com o governo federal é até agradável, mas dinheiro, que é bom, nada". O impasse entre o MJ e o governo de São Paulo gira em torno da entrega dos projetos. Enquanto São Paulo garante que os documentos já foram enviados, o ministério nega ter recebido.

O pedido de R$ 740 mil feito pelo governo paulista ao MJ com o objetivo de incrementar a inteligência policial é outro motivo de desgaste. A Justiça também nega ter recebido esse pedido e afirma que, no ano passado, São Paulo foi o Estado que mais recebeu recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública: R$ 112 milhões.

O Estado de São Paulo não é o único prejudicado. O dinheiro da Medida Provisória liberado pelo Governo Federal até agora só contemplou o Mato Grosso do Sul. O dinheiro liberado para o Estado irá custear a recuperação do Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande e a construção de uma cadeia, nos valores de R$ 2,1 milhões e R$ 2,7 milhões, respectivamente. Enquanto isso, os 18 estados que mandaram projetos ao MJ continuam sem recursos. Aline Sá Teles - Do Contas Abertas

Comentário:

A resposta prá este crime do Lulla, São Paulo já está respondendo nas pesquisas de opinião do Estado. Lulla perde feio. Assim como Mercadante. Que os empresários paulistas tenham a dignidade de não apoiar o apedeuta, na sexta-feira que vem, durante o tal jantar no Jockey Clube de SP. Porque isto, será compreendido como uma afronta e um profundo desrespeito ao povo paulista, seguramente. Por Gaúcho/Gabriela (Movimento da Ordem e Vigília Contra a Corrupção)

4 Comments:

  • Queridos do Movimento, voltei das férias (tão curtas, ai, ai) muito bem disposta para a luta.

    Em vista desses números todos, comprova-se, pela milésima vez, como o governo federal engana os eleitores, ao afirmar que a esfera federal não tem responsabilidade em relação aos fatos ocorridos em SP.
    É o governo do cinismo e da empulhação que provocam revolta e nojo.

    Beijos
    P.S. Gaúcho, obrigada por haver cuidado do bloguinho em minha ausência.

    By Anonymous Saramar, at 2:39 PM  

  • Tentar massacrar São Paulo para desestabilizar Serra e Alckmin, fou um belo tiro que saiu pela culatra. Funcionou que foi uma maravilha para aumentar ainda mais a rejeição ao Lulla/PT. Só está faltando agora São Paulo dar sua resposta também para ao Suplicy. Aí sim, o serviço ficará completo. São Paulo vai dizer NÃO ao PT.

    By Anonymous Sueli Costa, at 2:41 PM  

  • Se reeleito, os próximos a sofrerem serão o Rio de Janeiro, Minas Gerais e Maranhão. Com seus governadores longe do PT, Lula bloqueará verbas para esses estados para enfraquecer-lhes.

    By Anonymous Tiago Motta, at 4:32 PM  

  • Todo grosseiro é abusado demais! Os abusos deste governo de ralés distruíram ainda mais as razoáveis
    instituições, e ressaltam um privilégio de fazer subsistir um jeito cínico e criminoso de governar. Nosso pais..está menor!
    Cansamos de ver os "fora de moda". Modernidade não está somente no visual, e sim na essência. Corrupção, é coisa dos homens vis, da gente ordinária de má formação e de baixa qualidade humana. Estamos evoluindo não é? Esta raça está fora de moda mesmo! Cansada de ver o malandro governando o bolso dele.

    By Anonymous Gabriela, at 6:53 PM  

Postar um comentário

<< Home