movimento ordem vigília contra corrupcao

sexta-feira, dezembro 01, 2006

BRASIL PROTEGE SUDÃO EM VOTAÇÃO NA ONU


Enquanto o Lula da Silva fazia sua visita à África, o Itamaraty preferiu nesta semana se abster na votação na Organização das Nações Unidas de uma solução proposta pelos países ocidentais para a crise humanitária na região de Darfur, no Sudão, considerada pela ONU a mais grave do mundo.

Nos últimos dias, o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas vem debatendo o assunto. Europeus e outros países ocidentais propuseram uma resolução em que se pedia que o Sudão investigasse e punisse autoridades dentro do governo responsáveis pelos massacres. Mas com o apoio dos países árabes, africanos e com a abstenção do Brasil, o Sudão conseguiu evitar a aprovação da proposta. Zâmbia, Filipinas e Ilhas Maurício também se abstiveram.

O conflito começou em fevereiro de 2003 entre a população de etnia africana do país e o governo muçulmano do Sudão. Cerca de 2,5 milhões de pessoas foram obrigadas a deixar suas casas temendo as ações dos janjaweed, milícia conhecida por sua brutalidade contra os rebeldes em Darfur. O governo do Sudão sempre negou que esteja apoiando a milícia, mas peritos da ONU acusam os representantes de Cartum de dar apoio velado e de não punir os massacres.

O Brasil preferiu aprovar uma resolução proposta pelos próprios governos africanos, que pede o fim da crise, mas deixa a questão para ser resolvida entre os países do continente. A resolução ainda não aponta qualquer culpa do presidente do Sudão, Omar al-Bashir, e elogia o governo por colaborar com a ONU.

Diplomatas do Sudão não escondiam a satisfação em relação à posição brasileira, lembrando que a abstenção era "reflexo da política do governo de Lula em relação à África". "O Brasil tem uma postura muito positiva", elogiou um funcionário de alto escalão do governo de Cartum. Argentina e Uruguai, sócios do Brasil no Mercosul, apoiaram a resolução da Europa pedindo investigações sobre o envolvimento do governo. "Está difícil conseguir que o Brasil critique a África", afirmou um experiente negociador argentino na ONU.

O Brasil, porém, se aliou a 28 países e aceitou a proposta dos europeus de promover uma reunião especial na ONU sobre o assunto de Darfur, o que deve ocorrer em 15 dias. Mas a opção do Brasil não foi vista como um problema para o governo do Sudão. "Não temos problema com a realização de uma reunião. Vamos usá-la para esclarecer tudo", afirmou o diplomata de Cartum.

Em um esforço para convencer alguns países considerados estratégicos, o Sudão convidou um diplomata brasileiro para viajar até Darfur, visita confirmada pela missão do Brasil na ONU, há duas semanas. "O Brasil foi convidado por representar a América Latina e para ver com seus próprios olhos que a situação não é a que mostra a mídia. Há uma campanha internacional contra o Sudão e tudo não passa de uma grande mentira", afirmou o chefe da missão do Sudão na ONU, que pediu para não ter seu nome revelado.

Na ONU, as autoridades continuam chocadas com a situação em Darfur. O secretário-geral, Kofi Annan, pediu que os países formassem uma aliança para tratar da crise “baseada em princípios” e não se dividissem entre Norte e Sul. "O governo do Sudão e as milícias alinhadas a ele continuam a serem responsáveis pelas mais sérias violações de direitos humanos", disse a alta comissária da ONU para Direitos Humanos, Louis Arbour. - Tribuna OnLine



SEM-TERRA CAUSAM PREJUÍZO DE US$ 15 MIL AO PORTO DE MACEIÓ

O administrador substituto do Porto de Maceió, Clóvis Pereira Calheiros, disse que não tinha como calcular os prejuízos provocados pela ocupação do porto pelos trabalhadores rurais sem-terra. O prejuízo maior seria, no entanto, para a exportação de açúcar, já que as usinas estão em plena safra. Por dia, as usinas embarcam cerca de 15 mil toneladas de açúcar para o exterior, o que teria resultado num prejuízo em torno de US$ 15 mil, já que a ocupação do porto pelos cerca de cinco mil sem-terra durou quase o dia inteiro. O Estado

BRASIL VAI DOAR R$ 20 MILHÕES AO PARAGUAI

O plenário da Câmara dos deputados aprovou nesta quinta-feira um projeto de lei que autoriza a União a doar R$ 20 milhões ao Paraguai. Os recursos são para antecipar valores que o Brasil deverá encaminhar para um fundo que será criado no âmbito do Mercosul. O fundo terá o objetivo de contribuir para o desenvolvimento econômico e formal das regiões com menor grau de desenvolvimento, em especial as regiões fronteiriças. Diário do Grande ABC - Leia mais

MANTEGA ‘EL LEVANTADOR’, LAMENTA MAIS UM ‘PIBINHO’.

À época em que estava sentado na cadeira de ministro do Planejamento, Guido Mantega produziu a seguinte pérola: “Eu não derrubo, só levanto PIB”. Nesta quinta, “El levantador”, agora inquilino da pasta da Fazenda, veio à boca do palco para reconhecer que o PIB de 2006 também não será “brilhante”.

O uso da quiromancia para levantar PIBs que a realidade econômica se encarregará de derrubar é usual no governo. Mantega voltou a lançar mão da técnica: “Esse ano não vai ser brilhante, mas, em compensação, vamos passar de 2006 para 2007 com a economia em aquecimento”, disse.

O ministro levou o turbante à cabeça no instante em que foi instado a comentar a expansão miúda do PIB no terceiro trimestre de 2006: 0,5%. O dado foi divulgado pelo IBGE. “Foi um pouco decepcionante. Eu esperava um crescimento maior. Infelizmente, não houve um crescimento robusto da indústria”, lamuriou-se o ministro.

Ouvido sobre o mesmo tema, Lula disse, na Nigéria, que já não está preocupado com 2006. Só tem olhos para 2007. Em 29 de outubro, dia do segundo turno da eleição presidencial, o presidente prometera um crescimento da economia de 5% para o primeiro ano de seu segundo mandato.
Se quiser acreditar em futurologia, fique à vontade. Mas saiba que há controvérsias. Por Josias de Souza

CHÁVEZ PRETENDE PROPOR REELEIÇÃO POR TEMPO INDEFINIDO

Chávez, candidato à reeleição, afirmou nesta quinta-feira que sua vitória é certa nas eleições deste domingo e disse que vai propor a mudança na Constituição para permitir sua reeleição por tempo indefinido. “Isso não é ditadura, é democracia” – ChávezLeia mais

Por Gaúcho/Gabriela (Movimento Ordem e Vigília Contra a Corrupção)

1 Comments:

  • Mantega, retrato escarrado da incompetência e da irresponsabilidade de Lula, do PT e de toda a quadrilha. Eles não têem plano nenhum para o País, a não ser implantar um sistema autoritário e ficar no poder pelos próximos 30 anos.

    By Anonymous Jeremias, at 1:23 PM  

Postar um comentário

<< Home