movimento ordem vigília contra corrupcao

quinta-feira, novembro 30, 2006

REFORMA AGRÁRIA PÕE GAÚCHOS NA MIRA DA BOLÍVIA

O que era temor transformou-se ontem em desespero para produtores de soja gaúchos que vivem na Bolívia.
Cumprindo sua promessa, o presidente Evo Morales sancionou a lei da reforma agrária, aprovada pelo Senado. A medida dá ao governo o poder para desapropriar terras consideradas improdutivas. O pacote atinge em cheio os agricultores gaúchos - maioria entre os cerca de 200 brasileiros no departamento (Estado) de Santa Cruz, responsáveis por 40% da produção de soja boliviana.

Segundo eles, a nova lei acaba com a possibilidade de estrangeiros arrendarem terras de bolivianos, o que é comum na região. - Estamos desesperados, porque investimos milhões e podemos perder tudo de um dia para outro - contou o gaúcho Francisco a Zero Hora, por telefone, na tarde de ontem.

Francisco, na verdade, não se chama Francisco. O medo de que algum integrante do governo tenha acesso à reportagem de ZH faz os gaúchos ocultarem seus nomes. São como fantasmas na terra de Evo Morales.

Há 14 anos na Bolívia, o produtor saído de Santo Ângelo nos anos 90 arrendou uma propriedade de 1,2 mil hectares ao norte de Santa Cruz de la Sierra. Além de soja, planta arroz e milho.

O governo garante que vai desapropriar apenas grandes propriedades improdutivas. Mas o que preocupa os brasileiros é o critério.

Para Evo Morales, propriedades maiores do que 500 hectares são classificados como latifúndios: - Se você tem mil hectares e produz apenas em 500, ele pode dizer: "O senhor vai entregar essa parte para o governo".

Mas também pode desapropriar 100% e indenizar com um preço irrisório. Dizer: "Estou te pagando, pega tuas coisas e sai". Na manhã de ontem, os gaúchos se reuniram em Santa Cruz. Eles planejam levar o protesto à embaixada brasileira em La Paz. - Os brasileiros não têm nenhuma arma.

Todas as semanas saem nos jornais bolivianos que os estrangeiros são latifundiários. Dizem que os bolivianos não têm terra, e os estrangeiros têm.

Estaremos na ponta de lança na hora em que começarem a executar as leis, e os indígenas começarem a invadir fazendas - afirma um produtor mato-grossense. O governo quer transferir, até 2010, 20% das terras cultiváveis do país a indígenas e agricultores pobres. – por
Rodrigo Alves - Zero Hora


"ESTAMOS DESESPERADOS"
Entrevista: produtor gaúcho
. Arrendatário de 1,2 mil hectares em terras bolivianas, um produtor de soja gaúcho na região de Santa Cruz de la Sierra contou o drama dos brasileiros atingidos pela nova lei. Temendo sofrer perseguição por parte do governo Evo Morales, ele preferiu não ser identificado. Leia mais

SESSÃO TUMULTUADA NA CALADA DA NOITE
A oposição boliviana acusou o Movimento ao Socialismo (MAS), partido do presidente Evo Morales, de subornar senadores para aprovar a nova lei de terras, na madrugada de hoje. Diante de milhares de agricultores concentrados em La Paz, Morales ameaçou promover a medida por decreto caso ela não fosse aprovada. O senador José Villavicencio, da Unidade Nacional (UN), disse que seu suplente, Abraham Cuéllar, recebeu uma proposta equivalente a US$ 100 mil para votar a favor. Um porta-voz de Morales negou que o governo tenha subornado opositores. Leia mais

"QUADRILHA DO MENSALÃO" NUNCA TEVE UM CHEFE

Aquele jantar no Rosental, com o Lula, no começo do mês, onde o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza se serviu de uma bela rabada, parece que rendeu.

Onde já se viu o autor da denúncia do mensalão, que empilhou acusações contra os integrantes da “quadrilha” - agora não ver mais indícios sobre a existência de um “chefe” no comando do esquema?

Inclusive, já descartou a possibilidade de incluir o Lula na investigação que poderá resultar na segunda denúncia criminal ao STF (Supremo Tribunal Federal) sobre o caso. Sim! Substituíram a tradicional pizza por uma rabada, quiabo, polenta, jiló, couve e abobrinha (...), e uma futura pasta da Justiça como sobremesa. -
Assinante FSP


E O POVO PAGA! ÍNDIOS QUEREM REGULAMENTAR PEDÁGIO NA TRANSAMAZÔNICA

Os índios Tenharim que vivem em 12 aldeias ao longo do quilômetro 145 da BR-320, a Transamazônica, querem regulamentar a cobrança de pedágio que começaram a fazer há dois meses no local. Segundo um dos líderes indígenas da região, Valmir Parintintin, a idéia é entrar com uma representação no Ministério Público Federal e no Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit) para pedir a regulamentação. "Em breve acreditamos que será nosso meio de sobrevivência", disse. Agência Estado -
Leia mais

Por Gaucho/Gabriela (Movimento Ordem e Vigília Contra a Corrupção)

3 Comments:

  • Era só o que faltava: termos que pagar pedágios pros índios sobreviverem. E o pior é que o desgoverno vai assinar embaixo. A FUNAI empurra o assunto com a barriga. Eles tentam repassar a responsabilidade prá qualquer um e não assumem nada. Já sobrou para a compania Vale do Rio Doce bancar indígenas e, agora, vai sobrar para a população ter que garantir meio de vida para eles. É uma pouca vergonha esse governo. incompetente.

    By Anonymous Durval de Medeiros, at 4:35 PM  

  • Se vão expulsar os brasileiros da Bolívia, o correto é que se expulse também os bolivianos do Brasil.Aqueles que eventualmente tenham seus negócios por aqui, devem perdê-lo também. Enfim, pagar com a mesma moeda. Olho por olho, dente por dente. Só que prá isso, seria necessário um estadista de fato, comprometido com os interesses do país. E não um bunda-móle entreguista como o Lula. Que quer mais é vender nossas almas para a corja maldita. Enquanto ele rouba, rouba e rouba.

    By Anonymous Anônimo, at 5:52 PM  

  • Eles comem a rabada e a gente que se ferra!!! a maior autoridade democrática do País se prestar e esse papel é muito grave. Essa declaração foi simplemente estapafúrdia: o Presidente é inocente, simplesmente um absurdo. Como já foi dito por aí, o repasto (a rabada) não há de ter alimentado a formação da consciência jurídica do chefe do Ministério Público.

    By Anonymous Alceu, at 8:18 PM  

Postar um comentário

<< Home