movimento ordem vigília contra corrupcao

quarta-feira, novembro 08, 2006

LULA ENCOSTA A BARRIGA NO BALCÃO DA FISIOLOGIA

Como prometera no domingo da reeleição, 29 de outubro, Lula iniciou nesta terça os contatos para a costura da “coalizão” partidária que lhe dará suporte no Congresso por mais quatro anos.

Deu folga a Tarso Genro, seu articulador político. Tornou-se articulador de si mesmo. Entrou na empreitada com o pé esquerdo. Uma das primeiras legendas que chamou ao Planalto foi o PTB de Roberto Jefferson.

É sintomático que Lula comece a (des)conversa do segundo mandato pelo partido que pôs na rua o escândalo do mensalão. Não poderia haver evidência mais eloqüente de que, rapidinho, o país vai voltando a ser o mesmo. O presidente de 58 milhões de votos informa aos eleitores que optou por sustentar a sua nova administração sob dois pilares velhos.

O primeiro pilar é a promessa de transformação do país. Mera reiteração, no caso de Lula. A segunda coluna é o cultivo da política tradicional. Nas próximas semanas, o país será submetido a um espetáculo conhecido: a divisão de territórios na administração pública.

No caso do PTB, a presidência é exercida pelo deputado cassado Jefferson. Como a conversa com o impensável é algo que não convém, Lula chamou o líder do partido, José Múcio Monteiro (PE), que disse que 95% da bancada eleita pelo PTB apóia Lula.

O PP, outra legenda de triste memória, também afia os dentes. O líder do partido na Câmara, Mário Negromonte (BA), já fez o seu preço: quer três ministérios.

Logo virão o PMDB, o PL, o PC do B e o PSB. Como se fosse pouco, Lula terá de lidar a apetência de seu próprio partido. Sob Lula, a Esplanada é vasta –34 ministérios—, mas também é inelástica. Com tantos interesses a acomodar, o petismo já pressentiu que perderá terreno. O próprio presidente já avisou. Ouve-se no PT um indisfarçável ranger de dentes.

Ao encostar a barriga no balcão, Lula reinicia um jogo de desfecho previsível. Ainda que consiga administrar as doses de fisiologia e clientelismo, é certo que um naco da administração pública será gerido de maneira dissoluta. A história demonstra que isso conduz à corrupção e ao escândalo. Blog do Josias



LULA E AS ILUSÕES

Em um daqueles seus devaneios, Lula voltou a falar em crescimento robusto, algo em torno de cinco a sete pontos, a partir do próximo ano. Pouco horas depois da suas afirmações ufanistas, feitas no encontro promovido pela revista “Carta Capital”, veio a cruel realidade.
O IBGE divulgou o desempenho da produção industrial de setembro, e ela caiu 1,5%, quando comparada com agosto.
O PIB da indústria volta assim ao patamar de junho, já considerado antes como medíocre.

No ano acumulado, a indústria brasileira teve uma expansão de apenas 1,3%. Mas mesmo assim, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, vem dizer que isto “não representa uma tendência”. Como não? O ano passado o PIB brasileiro se expandiu apenas 2,3%. E este ano sua expansão ficará abaixo dos 3%. O Haiti que se cuide. Se bobear, o Brasil o ultrapassa como o país com menor crescimento da América Latina.

Não se conhecem ainda os dados da agricultura brasileira no terceiro trimestre. Mas se não espere muita coisa boa, pois os juros altos e o populismo cambial representam a maior praga para o campo brasileiro. A safra de grão dos pólos dinâmicos já ocorreu no segundo trimestre e o terceiro normalmente não é o de melhor desempenho da agricultura. Novos dados desanimadores virão por aí. Apesar disso, nosso Presidente continuará dando uma de vendendor de ilusões. Por Tibério Canuto/Antônio Sérgio
Assinante da Folha leia matéria na íntegra mais aqui


BRASIL É O PIOR EM RANKING MUNDIAL DE IMPOSTOS



O Brasil aparece no último lugar em ranking divulgado ontem pelo Banco Mundial sobre o tempo gasto pelas empresas para manter em dia suas obrigações tributárias.

Segundo o relatório, as empresas brasileiras consomem, em média, 2.600 horas cuidando do emaranhado tributário do país.

O penúltimo colocado do ranking de 175 países é a Ucrânia, com 2.185 horas gastas anualmente. Entre os que têm sistemas de tributação mais simples, destacam-se os Emirados Árabes (12 horas) e Cingapura (30 horas).

O relatório do Banco Mundial foi realizado em conjunto com a empresa de auditoria PricewaterhouseCoopers, que forneceu os dados relativos aos sistemas tributários dos países e a respeito de como as empresas lidam com eles no dia-a-dia.

Na lista de 175 países, o Brasil também aparece como um dos locais onde as empresas mais pagam impostos como proporção do lucro líquido que obtêm nas suas operações comerciais.

Segundo o relatório, na média, as empresas brasileiras pagam o equivalente a 71% do total do seu lucro líquido anual em impostos. A divisão é a seguinte: 22,4% em impostos diretos, 42,1% em tributos relativos à mão-de-obra e 7,2% em outras taxas e contribuições.

Atualmente, vigoram no Brasil cerca de 3.000 normas tributárias, que são atualizadas ao ritmo de 300 modificações anuais.

A pesquisa do Banco Mundial demonstrou, no entanto, que mais elevados ou em níveis menores, os impostos são os grandes inimigos dos empresários no mundo: 90% dos executivos entrevistados colocam os tributos como um dos cinco maiores obstáculos para os negócios. Por Fernando Canzian, da FSP.

*



LULA FEZ DOAÇÕES DE QUASE R$ 1 MILHÃO PARA PETISTAS

O presidente Lula doou cerca de R$ 1 milhão para cinco políticos petistas que concorreram ao cargo de governador nessas eleições.
Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as doações totalizam R$ 932,1 mil. De acordo com os registros disponíveis na página do TSE na internet, a candidata petista derrotada ao governo do Distrito Federal, Arlete Sampaio (PT-DF), foi a que recebeu a maior doação de Lula: R$ 563,3 mil.

Em segundo lugar, aparece o ex-ministro da Saúde Humberto Costa, que recebeu R$ 185,8 mil. O governador eleito da Bahia, Jaques Wagner ganhou R$ 79,9 mil. Já Flávio Arns, candidato derrotado ao governo do Paraná, ficou com R$ 87 mil.

O ex-ministro da Pesca José Fritsch conseguiu R$ 16,1 mil. Por Tarciso Nascimento – Congresso em Foco. Leia mais no Estadão - aqui
*

IDENTIFICAÇÃO NA INTERNET SAI DA PAUTA, POR ENQUANTO

A votação do projeto de lei que prevê a identificação do usuário da internet que estava marcada para esta quarta-feira, foi adiada.
Ainda não há definição de uma nova data. A decisão veio depois que o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), fez a proposta. "É melhor retirar de pauta que pedir vistas", afirmou o senador. Leia mais

Por Gabriela/Gaucho (Movimento Ordem e Vigília Contra a Corrupção)

4 Comments:

  • Esse País vai desembestar para trás, de marcha-ré na ladeira abaixo. Idade da pedra é o que nós aguarda. A Era-lulla será responsável pelo maior retrocesso de toda nossa história. Será o período mais crítico e doentio que já tivemos notícias. Com um Congresso metido na lama, resguardadas as exceções, o ambiente é propício para a porcada se refestelar.

    By Anonymous JOELSON-SP, at 1:37 PM  

  • Acabaram-se as eleições e o estoque de bondades eleitorais.
    Agora é só pagar a conta. Nós, os idiotas é claro.

    By Anonymous Anônimo, at 1:42 PM  

  • O PSDB deve recuperar a liderança da bancada da lambança no Congresso graças ao senador Eduardo Azeredo, o tucano aloprado que queria instituir o crachá de internauta na web. Deve ter gente no PT preocupada.

    By Anonymous por T.Vasquez, at 1:56 PM  

  • E por falar em R$ 900 milhões será que o Lula já pagou aquela multa imposta pelo TSE, nesse mesmo valor?

    By Anonymous LU, at 5:26 PM  

Postar um comentário

<< Home