movimento ordem vigília contra corrupcao

domingo, setembro 30, 2007

A INTERNET É DE DIREITA?

Sou do tempo em que o PC era um "partido gráfico", isto é, majoritariamente se albergava nas redações dos jornais e ai de quem se insurgisse contra o seu patrulhamento. Por Waldo Luís Viana

Um “efeito terrível” dessa nova tecnologia, aplicada à comunicação de massa, foi a decadência da grande imprensa, dos jornalões e revistas tradicionais, cujas tiragens vêm caindo a cada dia e não só no Brasil. A ponto de seus profissionais, saudosos do poder de manipulação que mantinham sobre os outrora leitores cativos, passarem a destilar seu fel contra os que se utilizam da Internet para manter "blogs", "vlogs", "dlogs" e demais tipos de comunicação de alcance extraordinário, intergrupal e contemporâneo.

Mexer no castelo inexpugnável do "Partido gráfico" foi o supremo golpe contra o esquerdismo blasé das redações. Diante da realidade desse espraiamento tecnológico, têm de lutar com o que chamam de "internet de direita": O direito dos outros, que não são eles, de se manifestar sem o garrote vil e o controle daqueles "velhos companheiros amestrados e patrulhadores das redações da uisquerda"...

Blogueiros e internautas, unamo-nos! Vivamos a liberdade, antes que, a pretexto de nos configurarem à direita, nos tirem o tapete e em nossas bocas e "bits" coloquem um esparadrapo! Material do Portal A Verdade Sufocada – Leia
aqui

COMENTÁRIO
Sempre acreditei que vendo o noticiário na TV ou lendo jornais, eu estaria atualizada para conversar na minha roda de amigos. Nossa imprensa foi assim: Os redatores tinham paixão pela notícia verdadeira, e os assinantes orgulhosos compravam suas revistas e jornais que traziam as notícias saídas do forno. Tínhamos um parâmetro entre a população e a imprensa, hoje totalmente perdido, no seu mais importante papel à serviço do progresso.

A imprensa é o arquivo mais sagrado, a locomotiva, o dedo que indica o caminho a ser tomado pela população. Na falta deles, nossos blogs e sites estão trazendo uma artilharia de maior alcance, extensamente atroadora e fortemente destruidora das mentiras contadas, ou omitidas, em noticiários feitos por jornalistas muito bem pagos no seu papel de mercantilistas do balcão de negócios.

Só a tirania é capaz de impor limites à faculdade de imprimir as verdades. Nada irá avançar neste país sem uma imprensa livre, sem as vantagens da liberdade que iliminam os inconvenientes e perniciosos que fazem atolar na lama a nossa história.

Não quero saber de ideologia do capeta, e muito menos receber ordens de um analfabeto. Não sou massa, nunca fui! Recuso-me a aceitar que um reles incompetente tente me convencer que devo ser nivelada por baixo. Vá de retro de uma vez! Quero um povo livre e soberano, com dinheiro no bolso, com garantias de uma educação decente, saúde segurança e trabalho, porque o resto é conversa do "diabo" - que, por sinal, está atrasadíssimo para carregá-los prá bem longe de nós! Fidel vos chama Lula da Silva! ATENDAI-O! Por Gabriela/Gaúcho

IMPRENSA X BLOG
O jornalista e escritor americano Dan Gillmor, afirma categoricamente, que a grande imprensa anda perdendo espaço para 'cidadão-jornalista'. Que os cidadãos estão ocupando cada vez mais o espaço dos jornalistas dos meios de comunicações em massa, usando a internet e o celular para "noticiar" informações e fotos exclusivas e formar opinião. Gillmor é autor do livro We the Media ("Nós, A Mídia"), que se tornou uma referência no estudo sobre como o jornalismo e a grande mídia estão se tornando obsoletos. No lugar dos veículos tradicionais, sites montados por cidadãos têm conseguido oferecer serviços ao público com maior eficiência.

A maior prova de que procede a análise do jornalista americano, foi a “não divulgação” das manifestações ocorridas ontem, por todo o país. Enquanto a mídia fez questão de ignorar a reação dos cidadãos que saíram às ruas (em protesto ao descambo político que assola o país), vários blogs se mobilizaram na cobertura do assunto, tentando diminuir o “vácuo” proposital da imprensa cooptada. E muita gente ficou ciente do ocorrido. Touché! Por Gaúcho/Gabriela

LULA APOIA A ILEGALIDADE PRA VARIAR!
GLOBO AMEAÇA QUESTIONAR LEGALIDADE DA RECORD NEWS
O bispo Edir Macedo, da Igreja Universal, inaugurou nesta semana sua mais nova provocação à Rede Globo: a Record News. Dias antes, o vice-presidente de relações institucionais das Organizações Globo, Evandro Guimarães, estivera em Brasília. Queixara-se a autoridades do governo de que, ao levar ao ar o seu canal de notícias 24 horas, em rede de aberta, a Record passaria a operar dois canais televisão numa mesma cidade, São Paulo. O que seria vedado por lei.

Reza o decreto 52.795, de 1963, que uma mesma empresa não pode controlar duas geradoras de TV numa única praça. A regra visa coibir a concentração de mercado. Ao transformar a TV Mulher em Record News, a empresa de Edir Macedo passou a gerir, desde São Paulo, sob logotipos que remetem para a mesma razão social, duas geradoras de TV aberta em São Paulo, a velha Record e a novíssima Record News. O problema não existiria se a Record News fosse transmitida em canal fechado, pago. Blog do Josias de Freitas – Matéria
aqui

GUERRILHEIRA VANIA EM AÇÃO
CREDO! OUTRA COMUNISTA QUERENDO SENTAR NO TRONO
“Dilma articula candidatura à sucessão de Lula” -
Leia a matéria na íntegra na Folha Online -
aqui

COMENTÁRIO:
Dilma é uma das duas opções do bolso do colete do Lula da Silva para a sucessão de 2010 - a outra é o governador Jaques Wagner (BA), aquele que está detonando com o pobre Estado da Bahia.

Segundo a matéria da Folha, Dilma foi picada pela mosca azul. Vocês sabem, o termo usado é uma alusão ao livro “Mosca Azul”, do Leonardo Boff, o teólogo comunista, que chegou à brilhante conclusão de que o “poder não muda ninguém, apenas, que a pessoa se revela tal como sempre foi, mas que as circunstancias escondiam”. Pensem bem: uma guerrilheira comunista no poder!

Mas, voltando à matéria: Dilma está sendo estimulada por Lula, e ela dá evidências de que pretende entrar no pesado jogo político-eleitoral. O Lula já lhe deu carta branca para surfar na mentira das realizações do PAC, aquele embrulho eleitoreiro que ilude sobre a oferta de energia e de infra-estrutura do país, nos próximos anos, quando sabemos que o País está na eminência de um “apagão do setor energético”. Por Gaúcho/Gabriela.

O PESADO CUSTO DA ANISTIA
As indenizações milionárias, que fizeram a fortuna de perseguidos políticos e já provocaram uma despesa estimada em cerca de R$ 3 bilhões ao Tesouro, estão com os dias contados. Uma mudança de critério nas concessões, já colocada em prática pelo governo, por determinação do ministro da Justiça, Tarso Genro, poderá reduzir entre 50% a 80% do montante que vinha sendo concedido caso a caso. Por Vasconcelo Quadros – JB Online
aqui

COMENTÁRIO:
Pois não parece que o Lula esteja querendo frear esta pouca vergonha das indenizações aos criminosos. A insistência dele em ficar procurando “ossinhos” por aí, diz exatamente o contrário. Aliás, vamos decodificar o discurso do chefe: Lula faz tudo exatamente ao contrário do que afirma. Por Gaúcho/Gabriela

PARABÉNS, CAMPEÃO!
OBS: A propósito da foto de hoje, segundo manifestantes do Rio Grande do Sul, o cidadão que porta o cartaz e que fez questão de acompanhar vaiar e gritar Fora Lula, é um catador de papel de rua.


5 Comments:

  • A globo vai espernear muito tarde. A Band já opera o 21 (agora do Lullinha) há muito tempo, mas como não incomodava, a Globo calou-se.

    Globo, Record e Band um enorme penico....Só isso!.


    SDS.

    By Blogger CAntonio, at 9:06 AM  

  • O MAIOR PROBLEMA DO BRASIL E A IMPUNIDADE QUE TEM SERVIDO COMO PREMIO AOS DESONESTO QUANTO AOS DEPUTADOS QUANDO ACABAR AS EMENDAS DE PARLAMENTARES AO ORSAMENTO E DE NOMEAÇAO DE POLITICOS PARA AS ESTATAIS E OS TRIBUNAIS DE CONTAS PASSAREM A SER DE CONTAS E NAO DE CONTO DE FADAS AI SIM UMA PARTE EXPRESIVA DOS ROUBOS DO DINHEIRO PUBLICO DIMINUI MAS PARA ISSO E PRESISO MUDAR A CULTURA DO POVO AQUE ACONTECEU NO ESCANDALO DO MENSALAO ERA PRA ESTAREM TODOS NA CADEIA AU CONTRARIO DE ESTAREM DANDO PALESTRAS NAS UNIVERCIDADE QUE VERGONHA NAO

    By Blogger edvan2008@gmail.com, at 2:56 PM  

  • “NUNCA ANTES NA HISTÓRIA DESTE PAÍS”


    “Nunca antes na história deste País...”. Nunca antes se ouviu tanto esta frase. E o que ela quer dizer? Pelo jargão presidencial a expressão tenta passar uma mensagem de acontecimentos inusitados, de inovação no mundo real que compreende avanços políticos, administrativos, econômicos, sociais, tecnológicos, artísticos, científicos etc, com notória e benéfica mudança na qualidade de vida dos brasileiros e um verdadeiro desencadeamento da modernização do País.
    A expressão que ecoa imprescindivelmente na fala presidencial, em qualquer que seja a situação, é muito oportuna e convém ser dita. Não com a conotação que faz o Presidente, que se utiliza de uma conjuntura global na qual foi inserido por sorte, para creditar no seu fazer o que a própria conjuntura mundial faz mover por força de um momento histórico, que na realidade coloca o Brasil numa situação favorecida no contexto economia mundial. Aqui sim, sem precedente na história deste País.
    E poderia ser bem melhor, não fosse a inabilidade diplomática da corte brasileira em fazer valer o seu potencial junto àqueles com quem disputa o mesmo espaço, e a tibieza do Presidente em curvar-se ao brado autoritário de seus pares, ditos “companheiros”, dentre eles os ditadores da Venezuela e da Bolívia, nos últimos episódios envolvendo interesses brasileiros. Poderia ser bem melhor se o superávit primário, forjado, fosse empregado no desenvolvimento da produção interna e no melhoramento da malha viária brasileira, atualmente em estado de abandono, bem como, se saíssem do papel as reformas política e tributária, há muito emperradas por interesses minúsculos, amarrando o crescimento real do País, especialmente quanto à geração de emprego e renda.
    De concreto e vivenciado por todos os brasileiros, o que podemos dizer sem sombra de dúvida, é que nunca na história deste País se enganou tanto os brasileiros com políticas virtuais; que nunca na história deste País se praticou tanto o clientelismo e o populismo com programas assistencialistas que encurralam os eleitores menos informados para o funil da conveniência emergente do voto pela sobrevivência; que nunca na história deste País de roubou tanto o erário público, escandalosamente e a olhos vistos; que nunca na história deste país se viu tanta corrupção e tantos corruptos amontoados num só canto, e pior, atuando em rede e protegidos pela cumplicidade das instituições; que nunca na história deste País os políticos foram tão desacreditados e representaram tão pouco aqueles que o confiaram, na esperança de melhores dias; que nunca na história deste País houve tanta decepção com o parlamento brasileiro, profundamente contaminado de vícios e condutas desviantes, especialmente pela corrupção; que nunca na história deste País se viu tamanha crise de autoridade, deixando a sociedade nos braços da sorte e do salve-se quem puder; que nunca na história deste País se viveu em meio a tanta violência e sem perspectiva de reversão dessa epidemia, face a inércia, a incompetência e a corrupção dos agentes políticos; que nunca na história deste País a educação foi tão preterida pelos governos, mesmo constando no texto da Constituição de 1988 como um dos deveres primários e prioritários dentre as políticas públicas; que nunca na história deste país nos vimos tão abandonados pelo Poder Público, que passou a ver fim em si mesmo e permitir que seus agentes tenham vontade própria, coincidentemente sempre divergente da vontade do povo.
    Em fim, o que se vê e o que se sente é que nunca na história deste país houve tanto desprezo à Ética, à Moral e à honestidade, tornando as instituições desgastadas e fragilizado o ordenamento jurídico vigente; que nunca na história deste País, o Poder esteve tão podre assim!

    By Anonymous Anônimo, at 2:51 PM  

  • “NUNCA ANTES NA HISTÓRIA DESTE PAÍS”


    “Nunca antes na história deste País...”. Nunca antes se ouviu tanto esta frase. E o que ela quer dizer? Pelo jargão presidencial a expressão tenta passar uma mensagem de acontecimentos inusitados, de inovação no mundo real que compreende avanços políticos, administrativos, econômicos, sociais, tecnológicos, artísticos, científicos etc, com notória e benéfica mudança na qualidade de vida dos brasileiros e um verdadeiro desencadeamento da modernização do País.
    A expressão que ecoa imprescindivelmente na fala presidencial, em qualquer que seja a situação, é muito oportuna e convém ser dita. Não com a conotação que faz o Presidente, que se utiliza de uma conjuntura global na qual foi inserido por sorte, para creditar no seu fazer o que a própria conjuntura mundial faz mover por força de um momento histórico, que na realidade coloca o Brasil numa situação favorecida no contexto economia mundial. Aqui sim, sem precedente na história deste País.
    E poderia ser bem melhor, não fosse a inabilidade diplomática da corte brasileira em fazer valer o seu potencial junto àqueles com quem disputa o mesmo espaço, e a tibieza do Presidente em curvar-se ao brado autoritário de seus pares, ditos “companheiros”, dentre eles os ditadores da Venezuela e da Bolívia, nos últimos episódios envolvendo interesses brasileiros. Poderia ser bem melhor se o superávit primário, forjado, fosse empregado no desenvolvimento da produção interna e no melhoramento da malha viária brasileira, atualmente em estado de abandono, bem como, se saíssem do papel as reformas política e tributária, há muito emperradas por interesses minúsculos, amarrando o crescimento real do País, especialmente quanto à geração de emprego e renda.
    De concreto e vivenciado por todos os brasileiros, o que podemos dizer sem sombra de dúvida, é que nunca na história deste País se enganou tanto os brasileiros com políticas virtuais; que nunca na história deste País se praticou tanto o clientelismo e o populismo com programas assistencialistas que encurralam os eleitores menos informados para o funil da conveniência emergente do voto pela sobrevivência; que nunca na história deste País de roubou tanto o erário público, escandalosamente e a olhos vistos; que nunca na história deste país se viu tanta corrupção e tantos corruptos amontoados num só canto, e pior, atuando em rede e protegidos pela cumplicidade das instituições; que nunca na história deste País os políticos foram tão desacreditados e representaram tão pouco aqueles que o confiaram, na esperança de melhores dias; que nunca na história deste País houve tanta decepção com o parlamento brasileiro, profundamente contaminado de vícios e condutas desviantes, especialmente pela corrupção; que nunca na história deste País se viu tamanha crise de autoridade, deixando a sociedade nos braços da sorte e do salve-se quem puder; que nunca na história deste País se viveu em meio a tanta violência e sem perspectiva de reversão dessa epidemia, face a inércia, a incompetência e a corrupção dos agentes políticos; que nunca na história deste País a educação foi tão preterida pelos governos, mesmo constando no texto da Constituição de 1988 como um dos deveres primários e prioritários dentre as políticas públicas; que nunca na história deste país nos vimos tão abandonados pelo Poder Público, que passou a ver fim em si mesmo e permitir que seus agentes tenham vontade própria, coincidentemente sempre divergente da vontade do povo.
    Em fim, o que se vê e o que se sente é que nunca na história deste país houve tanto desprezo à Ética, à Moral e à honestidade, tornando as instituições desgastadas e fragilizado o ordenamento jurídico vigente; que nunca na história deste País, o Poder esteve tão podre assim!

    By Anonymous Anônimo, at 2:55 PM  

  • “NUNCA ANTES NA HISTÓRIA DESTE PAÍS”


    “Nunca antes na história deste País...”. Nunca antes se ouviu tanto esta frase. E o que ela quer dizer? Pelo jargão presidencial a expressão tenta passar uma mensagem de acontecimentos inusitados, de inovação no mundo real que compreende avanços políticos, administrativos, econômicos, sociais, tecnológicos, artísticos, científicos etc, com notória e benéfica mudança na qualidade de vida dos brasileiros e um verdadeiro desencadeamento da modernização do País.
    A expressão que ecoa imprescindivelmente na fala presidencial, em qualquer que seja a situação, é muito oportuna e convém ser dita. Não com a conotação que faz o Presidente, que se utiliza de uma conjuntura global na qual foi inserido por sorte, para creditar no seu fazer o que a própria conjuntura mundial faz mover por força de um momento histórico, que na realidade coloca o Brasil numa situação favorecida no contexto economia mundial. Aqui sim, sem precedente na história deste País.
    E poderia ser bem melhor, não fosse a inabilidade diplomática da corte brasileira em fazer valer o seu potencial junto àqueles com quem disputa o mesmo espaço, e a tibieza do Presidente em curvar-se ao brado autoritário de seus pares, ditos “companheiros”, dentre eles os ditadores da Venezuela e da Bolívia, nos últimos episódios envolvendo interesses brasileiros. Poderia ser bem melhor se o superávit primário, forjado, fosse empregado no desenvolvimento da produção interna e no melhoramento da malha viária brasileira, atualmente em estado de abandono, bem como, se saíssem do papel as reformas política e tributária, há muito emperradas por interesses minúsculos, amarrando o crescimento real do País, especialmente quanto à geração de emprego e renda.
    De concreto e vivenciado por todos os brasileiros, o que podemos dizer sem sombra de dúvida, é que nunca na história deste País se enganou tanto os brasileiros com políticas virtuais; que nunca na história deste País se praticou tanto o clientelismo e o populismo com programas assistencialistas que encurralam os eleitores menos informados para o funil da conveniência emergente do voto pela sobrevivência; que nunca na história deste País de roubou tanto o erário público, escandalosamente e a olhos vistos; que nunca na história deste país se viu tanta corrupção e tantos corruptos amontoados num só canto, e pior, atuando em rede e protegidos pela cumplicidade das instituições; que nunca na história deste País os políticos foram tão desacreditados e representaram tão pouco aqueles que o confiaram, na esperança de melhores dias; que nunca na história deste País houve tanta decepção com o parlamento brasileiro, profundamente contaminado de vícios e condutas desviantes, especialmente pela corrupção; que nunca na história deste País se viu tamanha crise de autoridade, deixando a sociedade nos braços da sorte e do salve-se quem puder; que nunca na história deste País se viveu em meio a tanta violência e sem perspectiva de reversão dessa epidemia, face a inércia, a incompetência e a corrupção dos agentes políticos; que nunca na história deste País a educação foi tão preterida pelos governos, mesmo constando no texto da Constituição de 1988 como um dos deveres primários e prioritários dentre as políticas públicas; que nunca na história deste país nos vimos tão abandonados pelo Poder Público, que passou a ver fim em si mesmo e permitir que seus agentes tenham vontade própria, coincidentemente sempre divergente da vontade do povo.
    Em fim, o que se vê e o que se sente é que nunca na história deste país houve tanto desprezo à Ética, à Moral e à honestidade, tornando as instituições desgastadas e fragilizado o ordenamento jurídico vigente; que nunca na história deste País, o Poder esteve tão podre assim!

    By Blogger edvan2008@gmail.com, at 2:59 PM  

Postar um comentário

<< Home