movimento ordem vigília contra corrupcao

terça-feira, maio 29, 2007

O ESCÂNDALO ESTÁ DESMORALIZADO

Minhas mãos estão trêmulas. Não sei por onde começar, diante da gigantesca tragédia vagabunda do País. Vou pelo ódio? Pela denúncia, pelo clamor à razão? Vou pela indignação, que já me faz mal à saúde (me diz o médico)? Vou pelo nojo, vendo o Romero Jucá articulando a defesa do Renan, à frente de suas sete fazendas imaginárias, de que ninguém mais falou? Ou do Sarney, fazendo um ensaio na Folha, em que ousa dizer que as denúncias existem porque os políticos se invejam e se odeiam, como se ele fosse um Montesquieu, um Cícero, ele, bem no meio do olho do furacão...? Vou por onde? Estamos diante do corpo aberto da Pátria, nua na mesa de dissecação e nada podemos fazer. A tragédia é que estamos vendo o retrato nítido da história do País, e ele vai escorrer para o ralo. Que podemos fazer, nós, cidadãos desesperados de impotência? Por Arnaldo Jabor – O Estado de São Paulo.

Pois é. Creio que seria melhor tentar, leitor, 'meu semelhante e meu irmão', engolir o escândalo e refletir sobre tudo isso.

Antes de qualquer coisa, temos de entender 'macro-historicamente' (se é que isso existe...) o que está acontecendo com o Brasil. Graças à estabilidade econômica, herança bendita de FHC, e graças ao mundo atulhado de grana para investir em países como o nosso, graças à democracia em que ainda vivemos, estamos descobrindo que o patrimonialismo ibérico, sujo, a tradição corrupta, oligárquica, clientelista não é um 'defeito' do sistema, mas sua estrutura básica.

Diante do mundo se modernizando, há uma pressão difusa contra esse anacronismo, que até os computadores já se recusam a contabilizar. Mas, acontece que este velho 'atraso' reage à modernização capitalista - único caminho para o progresso - exatamente como, nos países teocráticos do Oriente, a democracia é odiada.

Um grande risco que corremos, na maré da lama, é sermos engolidos pela ilusão de que tudo é invencível, caindo num niilismo político burro, da época, digamos, do Ademar, da 'beira do abismo'. Este é o grande desejo dos corruptos: que nos acostumemos à zorra geral e que nos dediquemos ou a plantar nosso jardim ou a meter a mão também na cumbuca mais próxima. Eles querem que achemos que não há saída, que 'tanta gente tem culpa, que ninguém tem culpa’.

No entanto, nas enxurradas de bosta, algumas doenças são lavadas. Por exemplo, durante o mensalão, graças ao Jefferson, traidor dos traidores, houve o extermínio do bolchevismo-dirceuzista, esse sim, que nos levaria ao caos econômico. Foi um acaso muito bom. Claro que ficou, no lugar dele, o 'lulismo', a grande aliança entre sindicalismo pelego e conservadorismo corrupto, agora responsável por este caos, que é menos nefasto (oh... Deus, que escolha...) do que a revolução ridícula que se planejava antes. Pequenas vitórias imperceptíveis devem estar se sedimentando na consciência da população.

Mas as doenças nos rondam, como a dengue. Um perigo patológico é o ódio à democracia. Quantos de nós já não fantasiamos milícias de extermínio aos corruptos impunes? 'Tem mais é que matar!', pensamos. Quantos já fizeram a fantasia de fechar o Congresso? Quantos se encantam com um chavismo cordial?

'Então - pergunta o leitor, de pijama, tomando um Lexotan -: então, de quem é a culpa?'

O governo do Lula é hoje o grande culpado. Explico-me:

Por quê? Porque está conivente com o Brasil do atraso. Acho que o Lula até se regozija intimamente com as ações da PF, que o beneficiam indiretamente, para ele poder dizer um dia: 'Nunca antes... a PF prendeu tanto...' Mas, vejam se ele lutaria por uma reforma do Judiciário...

O governo Lula é o grande culpado, sim. O primeiro governo do Lula desmoralizou a esperança. O segundo governo está desmoralizando o medo. No primeiro mandato, o Lula teve sorte de se livrar do Dirceu. Mas no segundo mandato, o lulismo, como uma grande lula, um grande polvo querendo ampliar com todos, beijando a mão dos barbalhos, no grande ecumenismo de coalizão, está desmoralizando o medo, o pudor dos ladrões, que agem olimpicamente, se sabendo impunes. O Silas Rondeau nomeou seu sucessor, com Renan e Sarney (sempre esse homem fatal...) O governo Lula está preso numa rede de corruptos.

Assim manietado, Lula elaborou sua ideologia:

'Bem... eu manobro com todo mundo, que eu sou bom de vaselina, tenho maioria no Congresso, a economia vai bem (que sorte hein, Marisa...), faço gastos populistas para manter meu prestígio junto aos idiotas que não entendem de política, graças ao meu enorme talento de ator simpático, fico acima da política, como um pai da pátria (muita gente acredita até que eu fiz o Plano Real, que eu dominei a inflação), não mexo em nada que eu não sou besta de brigar com sindicatos e banqueiros e, assim, sem mexer em nada, farei uma espécie de desenvolvimentismo conservador, um baixo juscelinismo, sem verbas, claro, para realizar o famoso crescimento, que (cá entre nós, Marisa), acho difícil... Privatizar estatais corruptas, estradas, aeroportos? Nem pensar, que os sindicalistas me xingam... e, assim, não faço reforma nenhuma e passo à história como o operário que brilha, o presidente do povo. Meu sucessor que se dane para pagar o estouro das contas públicas, principalmente se houver uma crise...'

Por isso é que o Lula é culpado. Faz um governo conservador com jargão reformista, falsamente desenvolvimentista, e fica conivente com o crime geral do País, perpetuando estruturas secularmente arcaicas.

E a espantosa, maravilhosa chance que os ventos econômicos internacionais nos trazem será desperdiçada para o Lula não se aporrinhar.

E, por último, a única coisa importante que mudaria a corrupção seria mexer, mudar as regras da Comissão do Orçamento, pois lá estão todas as doenças que infectam o País. E também é essencial fazer transparentes as normas de licitação para obras públicas.

Mas, a coalizão da lama não deixa, ora... Assim, as únicas coisas de que precisamos são as únicas que não se farão.

TEST DRIVE PARA A DEMOCRACIA
Ao assistir, passivamente, ao deprimente espetáculo de invasões e depredações da propriedade e do bem comum, as autoridades perdem aquilo que lhes foi outorgado pela população de forma geral: o direito de se legitimar acima de conflitos passageiros ou eventuais como protetora da lei e da ordem. Por
Editoria MSM - © 2007 MidiaSemMascara.org – Leia o texto completo aqui

Novos alvos do ditador
CHÁVEZ SE VOLTA CONTRA OUTRO CANAL DE TV
Poucas horas depois de ter tirado do ar o principal canal privado de televisão da Venezuela, a RCTV, o Hugo Chávez
acusou outra grande emissora de TV de incitar o seu assassinato. A Globovisión foi o único canal a transmitir imagens de uma grande manifestação contra o crescente controle governamental sobre a mídia venezuelana. Chávez também entrou com pedido de investigação contra a cadeia americana CNN, que acusa de "mentir" sobre o processo político venezuelano, por supostamente relacionar Chávez à rede Al-Qaeda.

PT APOIA
A direção nacional do PT, partido político do Lula, e o PSOL assinaram um
manifesto de apoio à paralisação das emissões da RCTV, entregue no último domingo à Embaixada da Venezuela em Brasília. De acordo com nota divulgada pela mesma embaixada, outras sete organizações populares brasileiros seguiram a mesma linha. Entre elas, o Movimento dos Sem-Terra (MST), o Movimento dos Pastores Negros do Brasil, o Círculo Bolivariano de Brasília e a Central de Movimentos Populares do Brasil.

O APOIO VELADO DE LULA A CHÁVEZ
O governo brasileiro oficialmente invocou a questão da “soberania”, para não se pronunciar sobre o golpe perpetrado contra a livre manifestação do pensamento e a democracia pelo tirano da Venezuela. Mas a justificativa do governo é manca. Um governo legitimamente democrático teria, obviamente, de se pronunciar. Se fosse um golpe contra Chávez que diria o "companheiro" Lula? A tolerância e o apoio velado aos atos discricionários que vêm ocorrendo em vários países latino-americanos indicam, de forma irretorquível, que o governo petista pode fazer o mesmo por aqui. Comentário do Aluízio Amorim

Sem “fatos novos” (?)
RENAN SERÁ POUPADO PELOS PARES
A defesa de Renan Calheiros, exposta nesta segunda-feira (28), no plenário do Senado, merece crédito apenas até certo ponto. O ponto de
interrogação. Ainda assim, a julgar pela reação de seus pares, o presidente do Congresso não deve sofrer nenhum tipo de reprimenda. Para os governistas, as explicações de Renan acomodam uma pedra sobre as acusações que o assediam. O líder do PMDB, Valdir Raupp (RO) disse que as palavras do colega “encerram o caso”. O líder de Lula no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), declarou-se “satisfeito”. Considera que o episódio não deve ser levado ao Conselho de Ética da Casa. Blog do Josias

VOZ DE RENAN APARECE EM GRAMPO DA NAVALHA
A Polícia Federal identificou a voz do Renan Calheiros, numa
interceptação telefônica realizada durante a Operação Navalha. Na conversa, a qual a Folha teve acesso, Renan fala com Flávio Pin, superintendente da Caixa Econômica Federal, preso na ação da PF, acusado de integrar a quadrilha que fraudava licitações. É a primeira vez que o senador surge diretamente num grampo desde que a PF deflagrou a operação, duas semanas atrás.

COMENTÁRIO
Jabor disse uma grande verdade. Quantas vezes somos tomados por uma sensação de impotência e de cansaço diante de tanta corrupção?

No entanto, discordo dele sobre “a única coisa importante que mudaria a corrupção”... Jabor acha que o segredo é mexer nas regras, nas normas. Ele fala como se este governo fosse chegado a obedecer a leis.

A única coisa que precisamos pra mudar de fato a corrupção do Brasil é mudar de governo urgentemente. Só que pra isto, temos que mudar a mentalidade deste povo idiota sem um pingo de amor próprio.

Como isto não é tarefa fácil, só nos resta torcer pra que nas próximas “enxurradas de bosta” algumas delas tomem o caminho do esgoto.

E, por falar em “doenças”, o discurso do Renan Calheiros foi um verdadeiro atentado à dignidade. Referiu-se à filha como “calvário”, e à mãe como “gestante”. Imaginem se um homúnculo deste teria algo de bom para oferecer à Nação?

Pois que nesta “enxurrada” de navalhas, a doença do Renan seja a próxima a ser lavada. A falta de hombridade torna ainda mais medonho o ato de corrupção. Por Gaúcho/Gabriela (MOVCC)

1 Comments:

  • caros amigos, comentar o que após esse desabafo?!
    eu me sinto enojada e impotente diante de tanta imundície e apatia popular

    By Anonymous Stella, at 8:02 PM  

Postar um comentário

<< Home