movimento ordem vigília contra corrupcao

domingo, fevereiro 25, 2007

BOLSA ESMOLA DE LULA

TRABALHADOR RURAL “FOGE” DO REGISTRO EM CARTEIRA NO NE

Com medo de perder benefícios sociais, agricultores recusam emprego formal. Negativa em ser "fichado" se dá tanto entre beneficiários do Bolsa Família quanto entre pessoas que esperam se aposentar mais cedo.

Por medo de perder benefícios sociais pagos pelo governo, ou na esperança de conquistá-los, trabalhadores rurais no Nordeste estão se recusando a aceitar empregos com a carteira de trabalho assinada.

A recusa ocorre tanto entre beneficiários do Bolsa Família quanto entre os que querem entrar no programa. Também entre os que pretendem se aposentar mais cedo, pelo regime especial da Previdência -aos 55 anos no caso das mulheres e 60 anos no dos homens.

Em uma das maiores fazendas de café da Bahia, na Agribahia, a dificuldade em contratar mão-de-obra formal levou à substituição de 5.000 trabalhadores em safras passadas por colheitadeiras operadas por um único funcionário. Hoje, a empresa contrata apenas cerca de 900 pessoas para fazer a colheita em áreas de declive, onde as máquinas correm o risco de tombar. Mesmo assim, são necessárias iniciativas como anúncios em rádio e em carros de som em feiras para arregimentar gente disposta a ter a carteira assinada por três meses ou mais e ganhar, como base, um salário mínimo por mês.

Próximo à Agribahia, na fazenda Campo Grande, o administrador André Araújo, 27, diz precisar de 150 pessoas para a colheita, mas que só consegue 40 com registro em carteira. O resultado é que o café acaba caindo de maduro do pé, com perda de qualidade. Por um café arábica "mole" que poderia valer R$ 300 a saca, a Campo Grande acaba recebendo R$ 200 pelo café "riado" catado depois no chão.

A agricultora Luciene Silva Almeida, 28, é uma das que fogem do registro em carteira. Ela trabalha ilegal na região de Brejões (281 km ao sul de Salvador), apesar da forte fiscalização da Delegacia Regional do Trabalho, que vem multando fazendeiros que contratam pessoal sem carteira assinada. Mãe de dois filhos, Luciene quer pleitear o Bolsa Família e planeja se aposentar pelo regime especial da Previdência, aos 55 anos. Se ela for registrada, pode correr o risco de extrapolar os critérios que a tornam elegível ao Bolsa Família.

Isso também a tiraria da condição de futura "segurada especial", tornando-a "assalariada rural". A aposentadoria "especial" é um benefício social, já que o trabalhador não contribuiu com a Previdência. Além de não poder mais se aposentar aos 55 anos, ela teria de contribuir por mais 13 anos para a Previdência e se aposentar só aos 60. Outra opção é esperar até os 65 anos e passar a receber, via Estatuto do Idoso, um salário mínimo por mês.

Foi o que aconteceu com Joselita Oliveira dos Santos, 57, que foi "fichada" por três meses há três anos. Ao tentar se aposentar aos 55 anos, teve o pedido recusado. "Agora não quero mais nenhum registro até conseguir me aposentar", afirma.

Simone da Silva de Jesus, 27, que trabalha arregimentando pessoal para os fazendeiros, diz estar cada vez mais difícil encontrar gente disposta a ser "fichada". "O pessoal do "Bolsa" e os mais velhos não querem." A irmã dela, Maria da Glória, 47, é uma delas. Mãe de cinco filhos, recebe R$ 80 do Bolsa Família e conta os dias para se aposentar aos 55 anos. "Nunca tive a carteira "fichada". Não é agora que vou arriscar", afirma.

Sindicatos de produtores rurais de Bom Jesus da Lapa (BA) e de Petrolina (PE) relatam o mesmo tipo de dificuldades. O secretário de Previdência, Helmut Schwarzer, reconhece a existência do problema. A secretária Rosani Cunha, do Ministério de Desenvolvimento Social, diz que as "distorções" ocorrem por "desinformação”. Já o Ministério do Trabalho promete manter "rigorosa fiscalização" no Nordeste. Por Fernando Canziani - FSP

ÍNDIOS FAZEM DOIS AGRICULTORES REFÉNS E PEDEM RESGATE DE R$ 20 MIL A FUNAI
Índios da etnia caritiana mantêm, desde o último dia 14, dois homens reféns em sua aldeia, a cerca de 100 km de Porto Velho (RO). Eles exigem R$ 20 mil da Funai (Fundação Nacional do Índio) para libertá-los. A Funai, que negocia a libertação dos reféns, afirmou que a reivindicação dos indígenas é justa, já que, por falta de dinheiro, a fiscalização, de fato, não é feita corretamente. Agência Folha

DELÍRIOS PERSECUTÓRIOS
CHÁVEZ DESCOBRIU PLANO DE SEU ASSASSINATO
O Hugo Chávez voltou a denunciar, neste sábado, novos planos para assassiná-lo. "Há quatro ou cinco loucos que continuam trabalhando para matar Hugo Chávez", afirmou o presidente. "Não posso tornar públicas as evidências. Mais uma vez se reforçam as tentativas e quando digo isso, não tenho dúvida alguma". Terra


O MAU HUMOR DO FANATISMO
HUMORISTA É CONDENADO POR PIADA NA VENEZUELA DE CHÁVEZ
Um grupo de aproximadamente 100 pessoas se reuniu no centro de Caracas na tarde desta sexta-feira (23) para protestar contra a multa imposta pela Justiça venezuelana ao comediante Laureano Marquez. Tanto os jornalistas presentes quanto os admiradores do humorista foram unânimes em afirmar que a "liberdade de expressão está sendo cerceada na Venezuela" e que a punição do humorista mostra "a gravidade" da atual situação do país.

CHÁVEZ ATACA CORRESPONDENTE DO JORNAL O GLOBO
Chávez negou neste sábado que seu governo limite a liberdade de expressão, em referência a uma recente sanção imposta por um tribunal a um jornal local. Aproveitou para atacar verbalmente um correspondente brasileiro do jornal O Globo.

"Aqui tem liberdade de expressão até em excesso, tal e qual Lula”. Hugo fez um ataque aberto ao jornal O Globo, após a pergunta de seu correspondente sobre a multa imposta ao vespertino Tal Cual, de oposição ao governo, por um artigo de 2005, escrito por um humorista em forma de carta dirigida à filha de Chávez. No texto, o autor pedia a ela que fizesse seu pai recuperar a razão e fosse mais tolerante com a oposição.

"Você já emitiu sua opinião, você é juiz, já se arvora de juiz. Você leu e acha que isso não fere; outros acham que fere sim", disse Chávez, diretamente, ao repórter. "Você é audaz de estar emitindo opiniões fora de contexto, já se colocando como um juiz. Você está se metendo em algo que é sagrado: a soberania deste país".

"Você vem aqui com uma tarefa: estão te pagando para que você diga coisas em função dos interesses da oligarquia brasileira, que é o plano do império norte-americano", ainda disparando sua metralhadora verbal ao jornalista brasileiro. "Tristemente, você pode terminar sendo um cachorrinho do império", concluiu. Portal Terra - Leia mais


DESTAQUE
ITAMARATY RECONHECE “DIREITO” DO IRÃ
Nota divulgada faz ressalva pedindo respeito à comunidade internacional. Na quinta (22), governo proibiu cooperação com programa nuclear do Irã. Um dia após publicar decreto proibindo qualquer cooperação com o programa nuclear do Irã, o governo brasileiro divulgou nota nesta sexta-feira (23) reconhecendo o direito do país de desenvolver energia nuclear para fins pacíficos. Portal G1 - Leia mais

PENSEM BEM:
Por que um dos maiores exportadores de petróleo do mundo, o Irã (ainda que importe gasolina...), investiria tanto em energia nuclear se não fosse para fins pacíficos? Dêem uma passeada pelo noticiário. O esquerdista
The Guardian, da Inglaterra, cita “fontes” da Agência de Energia Atômica (AIEA), segundo as quais os dados da CIA sobre o programa nuclear iraniano não teriam fundamento. Certo. Digamos que fosse assim. Quem diz que o Irã intensificou o seu programa nuclear não é a CIA, mas a própria AIEA. E daí? Daí nada. É o antiamericanismo em ação, ainda que todos morram no fim da história. Por Reinaldo Azevedo

A AMEAÇA NUCLEAR DOS AIATOLÁS
BOMBA DO IRÃ DÁ INÍCIO À NOVA CORRIDA POR ARMAMENTOS ATÔMICOS
Conselho de Segurança das Nações Unidas deu o prazo de sessenta dias para o Irã atender a três exigências. O prazo venceu na quarta-feira passada e a resposta iraniana foi renovar o desafio: em lugar de congelar, o Irã acelerou o programa nuclear. Mais 326 centrífugas para enriquecimento de urânio foram instaladas nos subterrâneos da fábrica de Natanz. A idéia de um arsenal nuclear nas mãos do presidente Mahmoud Ahmadinejad é assustadora. Uma combinação de fanático religioso e populista, o presidente iraniano não parece ser do tipo que hesitaria em apertar o gatilho nuclear. Como a comunidade internacional deve reagir à intransigência iraniana? Revista Veja – Leia
mais

ACHARAM AS ARMAS QUÍMICAS NO IRAQUE
Não é exatamente o que os Estados Unidos procuravam quando invadiram o Iraque, em 2003. Mas, afinal, encontraram armas químicas no país. Nada a ver com o arsenal sofisticado citado nas justificativas para depor Saddam Hussein. São armas rudimentares, improvisadas pelas milícias empenhadas em massacrar membros de etnias rivais e atacar as tropas americanas. Na semana passada, os Estados Unidos descobriram, na cidade de Karma, a 40 quilômetros de Bagdá, uma fábrica clandestina de armas químicas e carros-bomba em que havia cilindros de cloro e tanques de gás propano.

COMENTÁRIO:
Por que será que o Lula se preocupou em soltar uma “nota” reconhecendo o direito do Irã, um dia depois da publicação de seu decreto, proibindo a cooperação do Brasil aos projetos atômicos do Irã? É de se estranhar tal posicionamento. Não cabe nenhuma “ressalva” nesta perigosa história de fanáticos religiosos armados até os dentes.

No ano passado ao defender seu programa de enriquecimento de urânio durante a assembleia
da ONU, Mahmoud Ahmadinejad afirmou categoricamente: “Os que se negam a apoiar nosso programa querem ser um obstáculo para o desenvolvimento de nossos povos. Já o Bugre bélico, nesta mesma oportunidade afirmara que as pressões dos EUA para que o Irã abandonasse seu programa nuclear eram "injustas, imorais e cínicas", e que a decisão de desenvolverem energia nuclear com “fins pacíficos”, era um direito destes países soberanos, assim, como era do Brasil e da Argentina".

Esta “nota” do Lula reconhecendo o “direito do Irã”, só reforça a teoria sobre seu papel de “moderador útil”, nesta história já investigada pelo Professor Constantine Menges, e cuja
matéria do MídiaSemMáscara, reeditamos hoje no Blog.

Eles
põem em foco as previsões realizadas em 2002 pelo professor Constantine Menges, investigador do Hudson Institute e professor da George Washington University, sobre a constituição de um “eixo do mal” latino-americano com a participação ativa da Venezuela e de Cuba e com o apoio do Irã, para dominar a América Latina e separá-la dos Estados Unidos.

As esquerdas radicais que antes apelavam ao seqüestro e aos assaltos à mão armada para financiar a revolução, hoje contam com recursos quase infinitamente superiores, provenientes do petróleo venezuelano-iraniano.

As previsões de Menges,
falecido em julho de 2004, devem ser hoje complementadas com o surgimento de um “eixo auxiliar” de governantes de esquerda que assumem o papel de “moderados úteis”, para adormecer as sãs reações e pavimentar o terreno ao “eixo do mal”. Entre os principais expoentes continentais desse novo “eixo auxiliar” encontram-se os presidentes Lula do Brasil e Kirchner da Argentina.

A presença de Bush no Brasil tem inquietado deveras o bugre bélico, que não se cansa de falar besteiras e mandar recados dizendo que esta visita do presidente americano não resultará qualquer acordo entre o Brasil e os USA.

Chávez tem feito muita estripulia como se tentasse atrair para si a atenção da mídia e dos USA. Parece querer tirar o foco de Lula, cujo papel é “enrolar” a comunidade internacional, e manter o apoio do Brasil ao Irã.

Parece que Chávez pressente o perigo a que fica exposto todo o esquema, já que é a vez do companheiro Lula entrar em cena. Certamente é a hora da incompetência. Por isto, entra em campo o famoso “rabo de lagartixa” – aquele que vai despistar e pular feito um doido de um lado, enquanto o animal foge do “inimigo”, pelo outro. Só não vê quem não quer.

Por Gaúcho/Gabriela (MOVCC)

1 Comments:

Postar um comentário

<< Home