movimento ordem vigília contra corrupcao

quarta-feira, outubro 04, 2006

LULA ENCENA FÁBULA DO “PEGA LADRÃO!”


Lula está tomando a iniciativa de falar do dossiêgate – dizendo que também quer saber por que seus companheiros petistas negociaram com um bandido revelações contra os candidatos da Oposição – como tática: quer ser classificado não como “culpado”, mas como “vítima” (Ou, pelo menos, como desinformado).


Na verdade, Lula está encenando o papel descrito pelo senador Jorge Bornhausen no artigo “Pega ladrão” publicado na Folha de São Paulo na véspera da eleição. Escreveu Bornhausen: “Surpreendido, o ladrão antecipa-se ao alarme, e grita: – Ladrão! Pega ladrão!” Mistura-se aos seus próprios perseguidores, e livra-se da polícia.

Ou então, numa variável da cena, usada como cortina cômica dos picadeiros de circo de antigamente, o ator que faz o papel do descuidista, ou do sedutor apanhado em flagrante de adultério, grita Fogo! Fogo! E aproveita a confusão para fugir. É espantoso ver na TV Lula e o PT gritando indignados: Baixaria! Baixaria! Quando estão mergulhados até a cabeça no golpe.

Ora, o dossiêgate foi uma atividade da campanha de Lula e ele quer escapar da punição. Política & Verdade
*

LULLA E A ONDA

Integrantes da cúpula petista admitem em privado a formação de uma onda anti-Lula pelo país.

Acreditam que o "dossiegate" tenha colado no presidente-candidato. Se o segundo turno fosse em janeiro, funcionaria a tática de negar envolvimento e esperar a tempestade passar. Quase nunca se perde dinheiro ou eleição apostando na memória curta do brasileiro. Mas a eleição está logo aí.

A campanha neste segundo turno é previsível. Geraldo Alckmin apontará o dedo diariamente para o baixo padrão ético de parte dos petistas nesta reta final. Para debelar a crise, Lula parece disposto apenas a repetir a ladainha do "não sabia". O tempo exíguo corre contra o petista.

O maior ponto de interrogação até agora sobre o "dossiegate" é a origem do dinheiro. Está em cartaz um espetáculo surrealista. "A PF está investigando", dizem os petistas. Ocorre que todos os manipuladores das cédulas de real e de dólar eram e são do PT. Por que Lula, Ricardo Berzoini (presidente do PT) e Aloizio Mercadante não determinam aos envolvidos que contem a história completa?

Há duas respostas possíveis para essa pergunta. Primeiro, Lula, Berzoini e Mercadante não têm comando do partido, vivem no mundo da Lua e são absolutamente incapazes de executar tarefas executivas. A outra hipótese é a verdade sobre o dinheiro não poder vir a público, porque enterraria de uma vez o sonho reeleitoral do PT -e alguns acabariam na cadeia.

Sem esclarecer de onde surgiu o R$ 1,7 milhão do "dossiegate", só resta a Lula contar com uma eventual rápida perda de memória dos eleitores. A onda "dossiegate" passaria, como passou a do mensalão. Seria uma tarefa talvez exeqüível em alguns meses, mas dificílima em menos de quatro semanas. Por Fernando Rodrigues
*

A MARCHA DOS PALHAÇOS

Lula se candidatou ao lugar de coordenador da campanha eleitoral de Geraldo Alckmin NA SEGUNDA-FEIRA, com aquelas olheiras que só a adversidade eleitoral produz "nosso guia" se candidatou ao lugar de coordenador da campanha de Geraldo Alckmin à Presidência da República.

Fez isso quando tratou do dossiê Vedoin e disse o seguinte: "Eu quero saber quem arquitetou essa obra de engenharia para atirar no próprio pé". Quer? Pergunte a Ricardo Berzoini e a Aloizio Mercadante. Eles podem ajudar.

Ao tratar de um crime como curiosidade, Lula assumiu a condição de padrinho dos malfeitores petistas, aloprados e trambiqueiros. Padrinho no sentido da figura de Don Corleone/Marlon Brando.

Não há nenhuma prova, indício ou pista de que haja bico tucano na construção do papelório. Há apenas um raciocínio lógico: se os tucanos foram favorecidos pelo episódio, há dedo deles na produção. Coisa assim: a invasão da Rússia por Hitler permitiu que Stálin consolidasse a sua tirania, donde, Hitler foi uma jogada de Stálin.

Admita-se que o raciocínio de Lula está certo. No início de setembro, um tucano teve uma idéia: vamos pedir ao Vedoin que faça um dossiê contra o Serra, ele o vende ao PT, nós flagramos os compradores, fotografamos o ervanário e botamos o escândalo na imprensa.

Um petista aloprado come a isca, compra-se o caso, acerta-se a publicação da denúncia, combina-se o pagamento e vai-se a um hotel buscar mais uns docinhos. Nisso reserva-se R$ 1,7 milhão, em grana viva, para os chantagistas.

Se isso fosse verdade, o presidente de honra do PT teria razão ao chiar. O da República não é pago para tumultuar inquéritos. Os petistas que negociaram com um delinqüente cometeram uma contravenção ao trocar denúncia por dinheiro e um crime e ao remunerar bandidos. Transgrediram as leis da República. Respeitaram apenas a regra do silêncio de Don Corleone.

Diante de um crime, o presidente da República não pode agir como advogado de porta de xadrez. (Será que em 1954 os capangas de Gregório Fortunato foram pagos por Carlos Lacerda para atirar no major Rubens Vaz?)

Em São Paulo e no Rio, houve zonas eleitorais onde madames grisalhas, elegantes e gentis distribuíam narizes de palhaço. (Senhoras parecidas com aquelas que fizeram a Marcha da Família em 1964.) O sujeito ganhava uma bolinha vermelha e ia para a seção eleitoral. No comércio, a bolota de plástico custa R$ 2,50 e a de esponja sai por R$ 3, crime eleitoral explícito, mas isso fica para depois. Contra quem esse feliz palhaço protesta? Paulo Maluf? João Paulo Cunha? Clodovil? Lula?

O calor que o senador Eduardo Suplicy tomou de Guilherme Afif Domingos mostra que se quebrou a associação da decência ao PT. Se são todos iguais, Lula é igual a Maluf e Fernando Collor. Exagero? Ouça-se Maluf: "Tenho plena consciência de que o presidente Lula é um homem limpo e correto". E Lula: "Collor poderá, se quiser, fazer um trabalho excepcional no Senado”.

Lula e o PT associaram-se a práticas indecentes. Fizeram isso porque quiseram. A mistura custou o resultado de domingo.

A Justiça Eleitoral precisa estar cega para permitir a distribuição de prendas na área onde é proibido repassar santinhos de candidatos. Mesmo assim, o palhaço sempre poderá votar com um nariz que trouxe de casa.

Ou Lula pára de dizer monstruosidades ou verá a marcha dos palhaços. Elio Gasparini – FSP
*

Lula quer mesmo saber como foi armada nos bastidores de sua campanha a operação de compra do dossiê da Máfia das Sanguessugas contra Serra e outros políticos do PSDB? Quer?

É simples. Chame seu churrasqueiro e pergunte. Chame o responsável por sua segurança nos últimos 17 anos e pergunte. Chame o marido de sua secretária e pergunte.

Se não ficar satisfeito, chame o ex-diretor da Gestão de Risco do Banco do Brasil e pergunte. Ou então não chame nenhum deles, chame apenas o presidente do seu partido, Ricardo Berzoini.

De amigo para amigo ou de chefiado para chefe, sem risco de indiciamento pela Polícia Federal, qualquer um deles poderá contar a Lula o que ele quer saber. Ou diz que quer - NOBLAT
*

LULA ATACARÁ ALCKMIN COM DENÚNCIAS CONTRA GOVERNO FHC

Estratégia já é efeito da incorporação ao comando da campanha do ex-ministro e deputado federal eleito Ciro Gomes (PSB-CE)

A campanha de reeleição do Lula da Silva vai estimular a discussão sobre ética na administração pública contra o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, e representantes pefelistas da coligação.

Os petistas vão se armar com as denúncias de corrupção do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) para impedir desgaste eleitoral de Lula com o escândalo do dossiê.

*

COMENTÁRIO:

Ciro Gomes vai ser mais um “estrategista” de campanha do Lulla a acertar o tiro no próprio pé. Não tem jeito! O tal setor de “inteligência III” do PT também é burro. Para nossa alegria!

Querem trazer a discussão “ética” para a pauta do dia. Desde que seja é claro a do governo do passado - quando é a falta de ética do (des) governo atual que precisa urgentemente ser discutida junto à opinião pública.

E, aqui, cabe um questionamento muito pertinente: Alguém pode explicar como o Lulla sabia de tudo no governo Collor, de tudo no governo FHC e no dele ele não sabe de nada?? – Por Gaúcho/Gabriela e Heloísa – Movimento Ordem e Vigília Contra a Corrupção.

3 Comments:

  • parabenizo pelo Blog... precisamos de lugares onde a informação seja liberada pq é preciso saber oq acontece...

    "o pior ignorante é aquele que prefere manter-se assim"

    By Anonymous alice almeida, at 5:18 PM  

  • Lula,é o padrinho do dossiêgate,a oposição tem que ficar bastante atenta para que a quadrilha não desvie o foco do dossiê. Não podem dar mole.

    By Anonymous Gustavo, at 12:24 AM  

  • O que dizer a respeito deste blog, senão parabéns.....
    Nos mostrem sempre, pois precisamos das notícias que mts vezes nos passam despercebidas, ou mesmo "escondidas"....
    Bjssssssssssss

    By Anonymous ciça, at 5:11 PM  

Postar um comentário

<< Home