movimento ordem vigília contra corrupcao

terça-feira, outubro 23, 2007

TUCANOS, SAÍDA À ESQUERDA

PSDB VAI VIRAR À ESQUERDA PARA SUCEDER LULA

Próximo presidente do PSDB, Sérgio Guerra afirma que o partido vai se aproximar dos movimentos sociais para vencer as eleições em 2010.

Um PSDB mais à esquerda, mais próximo das bases sociais e com soluções mais claras para o país. Mas sem renegar o passado e com um objetivo claro e fixo: eleger o sucessor de Lula em 2010. Esse é o discurso que vem sendo afinado pelo próximo presidente do partido, o senador Sérgio Guerra (PE).

Com a experiência de quem coordenou a campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) no ano passado, Guerra diz que os tucanos não podem pensar em voltar ao poder com as mesmas propostas derrotadas nas urnas em 2006.

“Ser da esquerda é arrancar o povo que está na pobreza para melhorar, e não acomodar o povo lá embaixo como o PT faz. Distribuir pobreza. A gente não quer isso, a gente quer que todos melhorem e que o emprego aumente. Apontar a porta de entrada da Bolsa Família e a porta de saída. Da Bolsa Família para o emprego. Do emprego para a cidadania. Da cidadania para liberdade econômica, política, emancipatória. Um partido assim, que não tenha timidez de dizer o que pensa.” - Congresso em Foco – Leia mais a entrevista de Sergio Guerra
aqui

COMENTÁRIO
Em que pese meu respeito pelo senador Guerra, minha posição sobre sua experiência na coordenação da campanha de Alckmin no ano passado, é de que a campanha foi crivada de erros e desacertos que, no final das contas, acabaram por favorecer a reeleição do Lula da Silva.

Não é novidade prá ninguém que o DEM, foi o partido que mais ajudou o candidato do PSDB, na campanha das eleições. Muito mais que o próprio partido do candidato.

A postura medrosa e reticente nos debates (Lula e Alckmin), a falta de firmeza e contundência para apontar com coragem o envolvimento de Lula nas falcatruas, tudo acabou por favorecer o candidato do PT. Sem nenhuma proposta efetiva de mudança para os rumos do país, a legenda se viu perdida numa campanha insossa, onde se tornou alvo fácil das mentiras do Lula.

Alckmin foi um candidato desassistido por sua base de apoio, inclusive, em suas andanças pelo País, aonde chegava sozinho na maioria das vezes, para fazer comícios em palanques inexistentes. Sem a devida assistência, o tucano foi um verdadeiro Don Quixote de La Mancha.

Ainda assim, com todas as precariedades, o candidato do PSDB conseguiu amealhar 40 milhões de votos, incluído o meu! Dei meu voto à legenda não necessariamente por convicção, mas sim, por uma questão de UTILIDADE do voto. Votei contra o Lula! Ou, pelo menos, achei que estava votando. Coisa que já não tenho mais certeza.

De qualquer forma, depois de ler esta entrevista do Senador Guerra e suas pretensões de rumo para o PSDB, pelo menos agora eu sei, que este partido não trará nenhuma proposta de mudança efetiva para o país no próximo pleito. Aliás, muito pelo contrário!

O discurso do futuro líder do PSDB parece estar mais sincero. Pelo menos, quando ele assume que o partido pretende “guinar”, ainda mais para a esquerda. Ou seja, definitivamente, a legenda está assumindo que nunca foi um partido de “centro”. Bom, as atitudes dos políticos que o digam!

Só não sei, sinceridade, se será capaz de convencer os 40 milhões de eleitores que votaram contra tudo isto, porque repudiam tudo isso, e muito menos querem o “continuísmo” da esquerda - tenha ela o nome que for. Nossa repulsa é pela essência da ideologia, que sempre parte dos mesmos pressupostos. Querem mudar a vida deles, o resto que se dane!

“Ser da esquerda é arrancar o povo que está na pobreza para melhorar (...)” Pois é, percebam como a essência nunca se furta ao método. O próprio verbo escolhido pelo senador - “arrancar o povo “(...) denota que o “dogma do ato” a ser empregado (para tentar mudar a situação da desigualdade) fará uso dos velhos expedientes. Manter a absurda carga tributária sobre o setor produtivo, por exemplo. Bom, vide o que estão armando com relação à CPMF (alguns deles, incluindo o senador).

Mais outra do senador: “Apontar a porta de entrada da Bolsa Família e a porta de saída (...)” - Com alguma variação de matiz (para tentar ganhar pontos de popularidade), a verdade é que este tipo de ação não passa de endosso à demagogia da esquerda. Continuar enterrando dinheiro no assistencialismo esdrúxulo, em detrimento dos investimentos estruturais e de ampliação da capacidade produtiva do país, é coisa de míope! É ficar “chovendo no molhado”.

Enfim, a verdade senador, é que ser da esquerda é ser vigarista! Foi isto que aprendemos com Lula e os demais governos “socialistas” do pedaço. Um governo de esquerda é antes de tudo, um mentiroso contumaz que se faz passar por “bom samaritano” para poder esfolar o cidadão de bem , em nome da “justiça social” para a horda da vez.

Portanto, farei diferente nas próximas eleições (se houverem). Votarei por CONVICÇÃO! Chega de voto útil! Quero uma OPOSIÇÃO de fato, a este estado de coisas. Quero um partido PURO de DIREITA, que afaste de mim a ditadura da aritmética que tenta substituir a noção da Verdade e do Erro. Quero políticos que não se rendam à agenda e às posições da Esquerda. Não quero mais saber de pagar impostos para carregar nas costas os ditos “movimentos sociais”.

E já sei caro senador Guerra, que não será votando no PSDB que terei meu país de volta! Ainda que a oposição de fato (DEM) não seja páreo para arrancar a esquerda do Poder (...) ainda assim, eu votarei por convicção da próxima vez. Chega de votar contra o Lula e, ao final, acabar nos braços dele. E, não estou falando do fato dele ter vencido as eleições.

Nossa OPOSIÇÃO ficou menor ainda. Mas, pelo menos, agora sabemos seu real tamanho. E isto, é um bom começo! Por Gaúcho/Gabriela

PARA DEMÓSTENES, PSDB AJUDA PLANALTO
O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) afirmou ontem que a disposição do PSDB em abrir um canal de negociação com o governo federal em relação à aprovação da prorrogação da CPMF no Senado é um fator que favorece o governo Lula.

“Se houver a aprovação, a prorrogação de alguma forma, ainda que com alíquota menor, não tenha dúvida de que isso acontecerá por conivência da oposição, nossa (DEM) ou dos tucanos”, destacou, antes de participar de evento promovido pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB), em São Paulo.

Ele sustentou que, sem os votos do PSDB e do DEM, o governo não consegue aprovar a prorrogação do tributo. Ponderou, no entanto, que, ao contrário dos tucanos, os senadores do DEM já fecharam questão contra a emenda da CPMF. “Já fechamos questão e quem votar contra (a determinação da legenda) será expulso do partido.” Na avaliação de Demóstenes, se a arrecadação aumentar e o governo gastar mais, “jamais haverá equilíbrio fiscal no País”.

Para o senador, a CPMF não é mais necessária e o governo precisa praticar responsabilidade fiscal. A União espera arrecadar R$ 40 bilhões com a contribuição em 2008. “O governo arrecada mais e quer gastar mais. Desse jeito, vão criar novos impostos e aumentar outras alíquotas, enquanto o caminho tem de ser o inverso, que é o da economia”, ponderou. : Por Elizabeth Lopes e Eduardo Kattah - O Estado de São Paulo

NOVE DOS 13 SENADORES TUCANOS QUEREM FIM DA CPMF
Maioria dos senadores tucanos querem fim da CPMF
Noves fora Tasso, Guerra e Virgílio – que ainda condicionam o voto contra a CPMF à disposição negociadora do governo—e João Tenório (AL) – um senador que mede os seus passos pela fita métrica do governador tucano-governista Teotônio Vilella Filho (Alagoas)—, todos os outros nove senadores tucanos pendem pela rejeição ao imposto do cheque.

Privadamente e em público, posicionam-se contra a CPMF: 1) Álvaro Dias (PR), 2) Cícero Lucena (PB), 3) Eduardo Azeredo (MG), 4) Flexa Ribeiro (PA), 5) Lúcia Vânia (GO), 6) Marconi Perillo (GO), 7) Mário Couto (PA), 8) Marisa Serrano (MS), e 9) Papaléo Paes (AP). Alguns, como Flexa Ribeiro, chegam mesmo a defender que o partido feche questão contra o tributo, a exemplo do que fez o parceiro de oposição DEM. Blog do Josias

Por Gaúcho/Gabriela (MOVCC)

2 Comments:

  • A ladainha sempre a mesma. O discurso da "fome e miséria". Acho que o Senador Guerra, ficou noite inteira pensando numa palavra de efeito, "arrancar" os pobres da pobreza. Cansei!

    By Anonymous gabriela, at 3:29 PM  

  • O PSDB NUNCA FOI OPOSIÇÃO!

    By Anonymous Anônimo, at 12:53 AM  

Postar um comentário

<< Home