movimento ordem vigília contra corrupcao

domingo, setembro 09, 2007

DE ONDE SAIU O DUPLEX DE LULA?

Chama-se "Mar Cantábrico" o condomínio de dois prédios, na praia das Astúrias, no Guarujá (SP), onde o casal Lula-Marisa adquiriu um apartamento. Trata-se de empreendimento da cooperativa habitacional Bancoop, do Sindicato dos Bancários paulista, sob investigação por fraude, improbidade, formação de quadrilha etc. O presidente do PT, Ricardo Berzoini (SP), é um dos fundadores da Bancoop. E um dos investigados. – Cláudio Humberto

NEGÓCIO SOB SUSPEITA
O Lula da Silva, os três maiores fundos de pensão estatais - Petros, da Petrobras, Previ, do Banco do Brasil e Funcef, da Caixa Econômica - e integrantes do PT decidiram investir, nos últimos quatro anos, em uma cooperativa que, de uma das mais importantes construtoras de imóveis residenciais do Estado de São Paulo, transformou-se, nesse mesmo período, numa empresa com déficit financeiro estimado em R$ 100 milhões investigada por suspeita de desvio de recursos e lavagem de dinheiro. Não bastasse a queda vertiginosa nos negócios de 2003 para cá e os indícios de práticas ilegais, a cooperativa em que Lula, fundos de pensão de estatais e membros do PT aplicam seu dinheiro ainda ameaça tungar o patrimônio de três mil pessoas.

Trata-se da Bancoop, cooperativa do Sindicato dos Bancários de São Paulo, fundada em 1997 pelo hoje presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), e comandada desde sempre pelo alto escalão do partido. Em maio de 2005, Lula adquiriu cotas da Bancoop para comprar um luxuoso apartamento dúplex de três quartos em um condomínio - o Mar Cantábrico - de dois edifícios que está em construção na Praia das Astúrias, localizada no balneário do Guarujá (SP), uma das regiões mais valorizadas do litoral paulista no mercado imobiliário. A cota está no nome da primeira-dama, Marisa Letícia, mas consta do patrimônio declarado pelo presidente ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no ano passado, como candidato à reeleição. Na época, Lula tinha pago um total de R$ 47.695,38 em prestações.

A Bancoop é, na verdade, apenas a fachada de uma grande empreiteira que se utiliza do status de cooperativa para conseguir isenção fiscal, mas pratica preços de mercado, visa o lucro e comete várias irregularidades que sugerem a prática de desvio de recursos, ou até mesmo lavagem de dinheiro - acusa o promotor José Carlos Blat. Por Karla Correia – JB – Continue lendo
aqui - Leia também - Denúncia partiu dos sócios - aqui

A SOMBRA DO BURRO
Excelente texto de Gaudêncio Torquato no Estado de São Paulo
O primeiro eixo do poder heróico é a altivez, a elevação, a procura de uma marca de grandeza, que funciona como suporte da autoridade. O uniforme de camuflagem dos militares, por exemplo, que Nelson Jobim, o ministro da Defesa, exibiu no Haiti expressa o caráter grandioso que pretende imprimir ao seu perfil.

O segundo eixo de quem se arvora em herói é a empáfia. Neste caso, o candidato ao vestibular do heroísmo, aventurando-se no terreno da admiração do próprio papel, escala a montanha da autoglorificação e se proclama o “maior governante de todos os tempos”, guerreiro vitorioso de todas as batalhas para defender o povo, majestade na arte de plasmar o Estado à sua imagem e semelhança. Luiz XIV, o Rei Sol, com o seu lema “l’État c’est moi” (“o Estado sou eu”), simboliza tal identidade.

A terceira mola do heroísmo é a identificação com a divindade. O general Franco se dizia “caudilho da Espanha pela graça de Deus”. No Zaire, o filho de um cozinheiro de missionários católicos, Joseph Mobutu, que se tornou presidente, era aclamado como “meu pai e meu deus”. E o ex-sargento do Exército colonial britânico Idi Amin Dada, ditador de Uganda, que se autoproclamou marechal, garantia que tinha Deus como consultor, conversando com ele “sempre que se fazia necessário”. Continue lendo
aqui

COMENTÁRIO:
POBRE DESLUMBRADO É UMA DESGRAÇA!
EX-POBRE - Existe uma medida perfeita entre o rico possuidor de um compêndio de civilidade e de espírito, e o pobre de tudo, sem o estofo precioso para ser tudo aquilo que inveja nos ricos- ricos. Pobre deslumbrado é uma desgraça!

Dá nisto, viver na sombra do burro heróico de farda e tudo. Uma das maiores misérias humanas é vestir os réles de seda e de títulos. Coisas da pobreza de espírito! Por Gabriela/Gaúcho

1 Comments:

  • essa coisa toda do Bancoop fede, quero só ver se irão bem ao fundo e denunciar TODOS o envolvidos nessa falcatrua

    By Anonymous Stella, at 8:54 PM  

Postar um comentário

<< Home