movimento ordem vigília contra corrupcao

terça-feira, agosto 15, 2006

"Ele nunca soube de nada!

Certamente não sabia que tinha debate hoje"...
José Maria Eymael arranca risos da platéia no debate da Rede Bandeirantes de Televisão ao dizer, ironicamente, que ninguém deveria se surpreender com a ausência de Lula. NOBLAT
*
PARA TSE, ELEITORES DEVEM PUNIR POLÍTICOS CORRÚPTOS
“A sociedade não vítima, é autora. É ela quem elege parlamentares envolvidos nestes escândalos”.
O presidente do TSE, Marco Aurélio Mello, disse ontem que caberá aos eleitores agir contra os políticos acusados de corrupção que em outubro tentarão a reeleição ou novos cargos públicos. "No dia 1º de outubro, quem tem de agir e abandonar o faz-de-conta é o eleitor", afirmou o ministro.

Antes da veiculação do horário eleitoral gratuito, o presidente do TSE fez um pronunciamento em cadeia nacional conclamando os eleitores a votarem de forma consciente e a se preocuparem com as conseqüências do voto que, segundo ele, são duradouras. "É hora de prestar atenção no que dizem (os candidatos) e como se comportam no que fizeram no passado e, principalmente, de saber se essas pessoas são de fato pessoas corretas e cumpridoras dos deveres", alertou Marco Aurélio. "Quem não obedece à lei não merece respeito e muito menos o seu voto", acrescentou. Agência Estado

*

PRONUNCIAMENTO DO MINISTRO:

Mas a campanha já está nas ruas, com os candidatos procurando apresentar e convencer sobre propostas e projetos próprios. É hora de prestar atenção no que dizem e como se comportam no que fizeram no passado e, principalmente, de saber se essas pessoas são de fato pessoas corretas e cumpridoras dos deveres. Quem não obedece à lei não merece respeito e muito menos o seu voto. Esta eleição, como as outras, é muito importante.

Você escolherá o Presidente da República, os governadores, os senadores, os deputados federais e estaduais, que decidirão o que é melhor para o Brasil. E isso refletirá diretamente no nosso dia-a-dia: no preço dos alimentos, na qualidade do ensino, nos investimentos na área da saúde, da habitação, dos transportes, da segurança, na taxa de juros, no valor dos impostos, em tudo! Eles decidirão sobre quase todas as coisas que afetam a nossa vida, mas, no dia 1° de outubro, você será o patrão, o chefe.


Você selecionará, entre tantos candidatos, aqueles que considerar os mais dignos, os mais bem preparados para conduzir a Nação nos próximos anos. O voto, embora individualizado, a tantos outros se somará, formando a maioria necessária para consagrar os vencedores, que terão como tarefa representar os cidadãos brasileiros. Lembre-se, caro eleitor: nenhum deles será nomeado e sim eleito, escolhido diretamente pelo voto de cada um dos quase 126 milhões de eleitores do País. O momento requer a maior atenção.


Observe a situação de hoje a exigir de todos nós muita responsabilidade. Sim, devemos exercer a cidadania com os olhos voltados à preocupação com o bem-estar geral, com o patrimônio público. O poder é do povo, que o transfere a homens cujo único interesse, nessa caminhada, deve ser o de bem servir.

Daí a necessidade de estarmos atentos, fazendo, nesses dias de campanha eleitoral, o exame criterioso dos candidatos e de suas propostas, desprezando aqueles que prometem coisas absurdas, deixando de levar em conta somente a simples fachada. Olhemos a vida profissional dos candidatos, analisando tudo com muito cuidado, não nos deixando enganar. É preciso não esquecer que as conseqüências das eleições são duradouras, repercutindo no desempenho de instituições, nos lares, na existência de direitos a serem exercidos. Os problemas nacionais – da atualidade e do futuro – prejudicam a todos.


A cobrança e a vinda de resultados, de dias tranqüilos, pressupõem a escolha consciente, a escolha dos melhores. A fase que antecede o dia das eleições – a propaganda eleitoral – tem objetivo único: possibilitar que os eleitores saibam quem são as pessoas que dirigirão, nos mais diversos postos, os nossos destinos. É hora de nos prepararmos para a verdadeira revolução, que é a revolução pelo voto.


Aproveite eleitor, o conhecimento adquirido com a propaganda eleitoral e não se omita quanto ao que pode e deve fazer em benefício da Nação, do crescimento geral. Lembre-se de que, ao depositar o voto na urna, você estará demonstrando confiança em um futuro melhor. Por isso, o seu voto é muito, muito importante. Não se omita, nem desanime. Participe e mostre todo o seu empenho e poder. Pense e vote. O Brasil será o resultado do seu voto. Santafé Idéias

COMENTÁRIO:
Alckmin não se saiu mal. Mas o debate estava realmente sonolento. No mais, podemos dizer que o candidato Eymael acertou em cheio: Lulla foi apenas "coerente" em sua prepotência, covardia e irresponsabilidade, de sempre.
Interessante mesmo, foi o pronunciamento do Ministro do TSE, nos chamando à responsabilidade. Esta sim, foi a grande mensagem do dia. Por Gaucho/Gabriela (Movimento da ordem e Vigília contra a Corrupção)

RESULTADO DA ÚLTIMA ENQUETE (NOBLAT)
NA sua opinião Lula e José Serra estão certos em não participar de debates na televisão com os demais candidatos à presidência da República e ao governo de São Paulo?
Sim 24%
Não 76%
Total de votos: 5458


6 Comments:

  • Não tenh o mínimo temor de que minha mensagem não seja postada, pois sei com quem estou tratando, gente muito diferente da corja esquerdista-pseudo-ecologista-terceiro-mundista que tanto vemos por aí. Eu só queria dizer, mais uma vez, como já me manifestei no Orkut tempos atrás - e gostei muito da resposta do Gaúcho à minha manifestação -, que temos que ter muito cuidado ao analisar os fatos que nos vêm aos olhos nessa época. Não no tocante ao Mulla, que está sendo tratado com o devido desprezo, por tudo o que já fez contra nossa pátria amada, mas com relação aos outros candidatos à presidência da república. Eu, por exemplo, votarei no primeiro turno em qualquer um que não Mulla e Heloísa Helena (já ouvi tanto a palavra "social" que tomei nojo, além do que os candidatos deveriam se preocupar mais com o termo "econômico", esse sim relevante para o país, inclusive na área "social"), contudo acho muito fraco até agora o desempenho do candidato Alckmin. Eu estava muito esperançoso com relação a ele, mas diante do que tenho visto até agora, já tenho inclusive um apelido: Rolando Lero. Nem lembrem o Mulla, ele está mais para Senhor Barriga ("Aí eu vou pra galera!!!", ou seja, para o povo ignorante, com o bucho cheio de pinga). É óbvio que num eventual segundo turno, eu votaria em Alckmin, Deus me livre mais quatro anos de Mulla. Mas o que eu quero dizer é que temos que pressionar mesmo os políticos que apoiamos a tomar medidas que realmente concorram para nosso bem efetivo, isto é, fazer Política com P maiúsculo, e não politicagem...
    PS: Um fato muito interessante que poderia ser usado na campanha contra Mulla é o fato de aqui, em Minas Gerais (onde, por sinal, Aécio Neves vai ganhar de mega lavada), a candidatura de Mulla estar ligada ao nojento Newton Cardoso, crápula da mais baixa estirpe (se nem às suas vaquinhas jersey importadas da Holanda ele dá o direito legal da quarentena, obrigando-as a participar de campeonatos logo após sua chegada ao país, imaginem então o que não faz com o povo pelo qual "legisla"). Nem o coordenador estadual da campanha, o prefeito belo-horizontino Fernando Pimentel, apóia o candidato ao senado (já afirmou publicamente que não pedirá votos para ele). Para finalizar, gostaria apenas de explicar a vergonha das quase duas décadas de PT em BH. Inventaram por aqui um tal "Orçamento Participativo", onde "a comunidade escolhe onde o dinheiro público será investido". Resultado: só são feitas obras públicas nos lugares onde os chefes de comunidade garantem votação expressiva ao PT. Precisa dizer mais alguma coisa?
    Abraços aos frequentadores do blog.

    By Anonymous Beto, at 4:09 AM  

  • Eu quase não ví a câmera da BAND focalizar a cadeira vazia do Lulla safado. Ou seja: o pessoal da emissora, colaborou prá disfarçar a ausência do mandatário covarde no debate. Mal!

    By Anonymous Cacá/Sampa, at 8:28 AM  

  • Cansada de falar do apedeuta fujão. Nem fez falta no debate. A importância dele é ZERO!
    A mensagem do Excelentíssimo Senhor Ministro Celso de Mello, foi pedagógica. Exaurida de ver na primeira fileira a se mostrar diariamente, a ignorância, a corrupção, o cinismo e etc..
    Valeu, o banho de loja do Ministro.

    By Anonymous Gabriela, at 10:24 AM  

  • Concordo com o Senador. Nós, somos os únicos responsáveis pelos bandidos que lá estão. E seremos ainda mais responsáveis caso os reelejamos, que é o que parece que vai acontecer. Agora, a oposição tem a obrigação moral de fazer sua parte à contento. Muitos votos estão indo para o ralo graças á falta de convicção na postura de Alckmin. Essa mesma falta de convicção, da nossa oposição, que um dia que colocou o supremo apedeuta "lá", é a mesma que irá favorecê-lo a continuar por lá. Sinceramente? Eu estou decepcionada!

    By Anonymous Sueli Costa, at 1:30 PM  

  • Concordo com vocês, meus amigos. o ministro foi brilhante e sutil.
    o debate (?) foi o blábláblá de sempre, com generalidades falseadas e utopias imbecis.
    Eles não se emendam.
    Será que seus publicitários (argh!) não sabem falar a língua comum? Ou será que nennhum deles tem um programa de metas? Todos viram as respostas à primeira pergunta, que queria como respostas, ações concretas. Nenhum deles falou nada, a não ser uma suposta reforma tributária que há 50 anos vem sendo prometida.
    Ridícula perda de tempo.
    Só valeu pelos ataques ao mentiroso covarde.

    Beijos

    By Anonymous Saramar, at 2:20 PM  

  • nestes primeiros dias de horário político, inclundo aí aquelas nefasta entrevista da Globo, a fala do ministro foi o único fato relevante e útil

    ( amigos, terminei com o R&P e iniciei um blog novo)

    By Anonymous Stella, at 12:29 AM  

Postar um comentário

<< Home